quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Da catalunha: um plano de ação consistente na prevenção do suicídio

A equipe de profissionais de saúde mental do Hospital Santa Creu e Sant Pau e do Centro de Psicoterapia Barcelona-Serveis Saúde Mental que se dedica ao estudo, assistência e prevenção das condutas autodestrutivas e suicidas, cobre uma região de Barcelona, o Dreta Eixample.

Digno de atenção e estudo é o programa de prevenção da conduta suicida por eles lançado, em março de 2006, buscando atender a necessidade da intervenção urgente na realidade local “para conhecer as características da conduta suicida entre a população catalana, a partir de 2004, lançar um programa de assistência e avaliar seus resultados”.

Os objetivos gerais do plano são:

1) a prevenção à consumação do suicídio;

2) a prevenção à recidiva de tentativas;

3) o controle da ideação suicida para se evitar a concretização do ato.

Os objetivos específicos a se desenvolver nas diferentes fases do plano prevêem:

- Sensibilização dos profissionais envolvidos neste trabalho;

- Coleta de dados confiáveis sobre a ocorrência conduta suicida na região do Dreita Eixample;

- Levantamento das situações de risco suicida;

- Monitoramento constante das condutas e situações de risco suicida;

- Controle da situação até que o paciente possa ser incluído na rotina de atendimento dos programas de saúde mental;

- Coordenação das equipes e dos recursos disponíveis nos diferentes setores dos serviços de atendimento.

Na terceira fase do programa são propostas algumas inovações, por meio de duas ações:

Assistência aos pacientes com condutas ou risco suicida

· Otimização dos recursos existentes;

· Introdução de “coordenadores ou supervisores” para o tratamento continuado face ao risco suicida (“agentes antilíticos”);

· A criação de intervenções terapêuticas grupal ou individual para pacientes suicidas.

Intervenção rápida diante de condutas autodestrutivas

- Atenção aos pacientes com risco suicida procedentes das emergências ou atendidos nos ambulatórios.

- Elaboração de um plano terapêutico individualizado (PTI) em função das características e necessidades de cada paciente.

- Designação de um terapeuta específico para atendimento individualizado, de modo a assegurar a continuidade no tratamento do paciente.

13 comentários:

  1. Hj sábado a noite eu aqui dentro de casa,enquanto todos meus amigos e a maioria da população se divertindo.sei q tenho mais q agradecer do que pedir a deus,só de ta com saúde já e um dos motivos pra agradecer.bem to decidido ir...encontra com deus pq minha fe e grande nele,por esse motivo quero fica ao lado dele, não aguento mais esse mundo onde nada da certo pra mim,problema q sou filho único e de pais separados e minha mae TB tenho quase certeza pelo perfil psicológico dela cometara uma bobagem igual a minha.sei q vou parti só não sei o modo de fazer,queria fazer parecer um acidente pra não ser tão traumático pra minha família,já procurei ajuda nas relógios católicas,evangélicas,já benzi,espiritismo,todos tem a palavra bonita e de conforto,só que não tem adiantado em nada.bem me deparei com esse blog e vi q tem pessoas boas como vc q merecem tudo de bom nessa vida,pessoa que alem de ajudar deve absorver tudo.sabe o que e uma pessoa decidida então esse cara sou eu,já recori a última estância onde achei q viria a solução e do veio mais sofrinento,isso ai cara continue com esse trabalho lindo um dia encontraremos lá em cima abracos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. pessoas decididas e corajosas como você MERECEM VIVER e superar TODAS AS DIFICULDADES. Deus a quem você diz acreditar e confiar PRECISA DE VOCÊ aqui, entre nós. se quiser conversar comigo (abelsidney@gmail.com) estou à disposição.

      Mas peço que você não se precipite tomando uma decisão que trará consequências desastrosas a você e aos seus familiares.

      Ainda é tempo de refazer, recomeçar, tentar novamente. Tente outra vez!!

      Excluir
  2. Eu não tenho mais forças quero mesmo dar fim a isso tudo

    ResponderExcluir
  3. Não estamos para avaliar as suas forças. Só pedimos que reconsidere e aceite nosso auxílio amigo! Se quiser conversar mais, estamos aqui, eu e meus companheiros dos Albergue Amigo! Escreva, se quiser, para albergueamigo@gmail.com

    Fica em paz,
    Abel

    ResponderExcluir
  4. Respostas
    1. Buda, bom dia!

      Aqui no nosso blog não é possível conversarmos como em um chat!!

      Você pode escrever para sosnaviporto@gmail.com. Estou à sua disposição, meu caro!!

      Fica em paz,
      Abel

      Excluir
  5. Ola meu nome e Paulo e todos os dias penso nisso tambem eu so nao fiz ainda por causa da familia e tudo.... Eu me sinto um lixo ...umas das piores pessoas do mundo...nao sou nem um pouco de me abrir..eu me acho horrivel... Sla eu so queria ser um pouquinho normal ser reconhecido ... Minha vida amorosa e uma bosta eu sempre encontro a decepcao...emprego eu nunca dou sorte sou sempre taxado de otario.. Na faculdade sou o mais burro.. Sla as vezes era melhor eu nao existir

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paulo, para ser direto e coerente preciso dizer *do que senti* ao ler sua mensagem e *do que eu sei* por ter já estar vivido em estado depressivo e com a baixa autoestima abaixo do chinelo!!

      Acredito que podemos nos refazer na jornada, dar a volta por cima, mesmo contra todas as expectativas.

      Acredito nas boas reviravoltas do destino, principalmente quando decidimos combater com as forças a *síndrome do coitadinho*.

      Acredito que sempre (embora poucas, mas suficientes) pessoas que podem nos estender a mão!

      Acredito que nascemos para *brilhar* - dentro dos limites do razoável.

      E acredito por fim que você não está senhor de todas as potencialidades por conta de uma doença de fundo emocional que precisa ser enfrentada devidamente, que é a depressão. Ela tem alterado a sua percepção de realidade...

      Enfim, acredite e lute por duas melhores em sua vida, por diaa de paz e de serenidade!!

      Se quiser me escrever, estou à sua disposição aqui: abelsidney@gmail.com

      Fica em paz,
      Abel

      Excluir
    2. Paulo, para ser direto e coerente preciso dizer *do que senti* ao ler sua mensagem e *do que eu sei* por ter já estar vivido em estado depressivo e com a baixa autoestima abaixo do chinelo!!

      Acredito que podemos nos refazer na jornada, dar a volta por cima, mesmo contra todas as expectativas.

      Acredito nas boas reviravoltas do destino, principalmente quando decidimos combater com todas as forças a *síndrome do coitadinho*.

      Acredito sempre (embora poucas, mas suficientes) que existem pessoas que podem nos estender a mão!

      Acredito que nascemos para *brilhar* - dentro dos limites do razoável.

      E acredito por fim que você não está senhor de todas as potencialidades por conta de uma doença de fundo emocional que precisa ser enfrentada devidamente, que é a depressão. Ela tem alterado a sua percepção de realidade...

      Enfim, acredite e lute por dias melhores em sua vida, por dias de paz e de serenidade!!

      Se quiser me escrever, estou à sua disposição aqui: abelsidney@gmail.com

      Fica em paz,
      Abel

      Excluir
  6. Olá, me chamo Josy e tenho 20 anos, bom, eu sempre fui contra esses pensamentos suicidas, nunca concordei e nunca aceitei ver alguém querer se matar, pois sempre achei que tudo estivesse uma saída, estivesse uma solução, mas de uns tempos pra ca eu ando com uns pensamentos tão horríveis e rancorosos, eu pensei, eu penso, eu to pensando em me matar, acho que cheguei numa fase da minha vida que não ta dando mais, eu me sinto mal com tudo e com todos, eu sinto vontade de chorar toda hora e já não to aguentando mais isso, já procurei pessoas, já conversei, desabafei, chorei, mas não adiantou e nem ta adiantando,acham que eu estou de beincadeira ou então acham que isso é bobagem e loucura da minha cabeça. Eu não to aguentando mais e quero ajuda.
    Vou contar o motivo de eu está assim, a 2 anos atrás entrei pra faculdade de direito, meio que obrigada por minha mãe, fiz vest pra enfermagem e passei, mas na hora da matrícula eu mudei pra direito pra tentar agradar minha mãe, pois ela me dizia que enfermagem aqui na cidade onde moro é muito "sem" futuro, mudei pra tentar agradar ela, pq eu sempre tentava de alguma forma agradar ela, ao contrário dela. Nessa mesma época, ela financiou duas casas, e daí em diante minha vida so piorou, minha mãe recebe muito pouco, mas ela é muito ambiciosa e acabou me atrapalhando de alguma forma, pois ficou com dificuldades de pagar minha faculdade devido às casas. Ela começou a jogar na minha cara essa situação, como se eu tivesse culpa, jogava todo dia e eu ficava cada vez mais mal com essa situação, ela e meu pai vivem como cão e gato em casa e sempre sobra pra mim, as vezes até apanhava dele por entrar no meio de briga pra ddefender ela, pois odeio ver minha mãe apanhando, apanhava na cara ou ate mesmo era enforcada. Enfim, isso foi acumulando na minha cabeça, fui ficando pior e mais triste. Meus pais nunca me apoiaram em nada e pra eles eu sou a pior filha do mundo, na minha casa sou tratada igual cachorro, meu nome aqui é de satanás pra pior. Fui começando a tirar notas baixas na faculdade por não conseguir estudar, eu chorava todo o tempo e nas poucas vezes que eu conseguia pegar em um livro pra estudar, meus pais começavam a brigar e eu surtava, começava a ficar desesperada e perdia minha total concentração, até que um dia eu tranquei a faculdade por não ta gostando do curso, mas não era bem isso, eram minhas notas baixas. Eles sempre foram um tipo de pais que cobram muito do filho, mas não apoiam ele em nada. Eu sempre fui uma menina pobre de carinho, atenção e amizades, eu sempre fui sozinha em quase tudo, não tenho mãe e muito menos pai ao meu lado, apenas dois portes dentro de casa. Minha mãe trata as amigas dela melhor do que eu, sou um tanto faz pra ela. Meu pai, se é que posso chamar de pai, bate na minha cara por motivo algum, quando se seprara da minha mãe, se separa de mim também, fica meses sem falar comigo se eu não for atrás. Eu to cansada sabe? Eu to com uma dor, uma tristeza tão grande no meu peito, que parece que algum ente querido meu faleceu, eu to com medo, eu não quero morrer, mas é só o que eu penso em fazer ultimamente, eu não aguento mais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Josy, boa noite!

      Estamos aqui para te acolher em sua dor.

      Sua vida não tem sido fácil conforme você nos contou. Mas há sempre uma saída!! No seu caso, em razão das constantes brigas dos seus pais, talvez só reste a você sair de casa, abrigar-se com algum parente ou amigo.

      Às vezes é necessário medir as nossas forças e tomar a decisão mais correta para preservar o que temos de mais precioso, a VIDA!!

      Se você não tem muita coisa a perder, então qualquer possibilidade um pouco melhor já é lucro!!!!

      Enfim, não desista de você!

      Se quiser conversar mais, me escreva: abelsidney@gmail.com

      Fica em paz,
      Abel



      Excluir
  7. Aiii,tento achar uma forma pra me suicidar mais rapido possivel qui no google...nao aguento mais;juro pra vocês passo por tanta coisa ruim,familiares traindo,amores enganosos...descilpe até alguns erros,so que chorar e sangrar ao mesmo tempo não da pra digitar corretamente. Já tentei suicídio uma vez,mas falhei
    Mas agora nesse momento estou determinada a fazer oq for,pra conseguir....nao aguento mais,choro todas as noites,tenho insonia. Está muito difícil viver. Tenho 4 filhos;mas penso muita na minha do meio;que só tem eu na vida dela,já fiz uns vídeos pra ela ver...a amo muito. Mas n aguento mais vansei

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sandra, desperta enquanto é tempo para uma realidade: só existe VIDA! A morte é somente um momento de transição para outra forma de existência. Isso vale para crentes e descrentes.

      Os crentes acreditam mesmo na vida após a morte, a sobrevivência do ser como individualidade.

      Os materialistas julgam que continuaremos vivos nos descendentes, por meio da nossa história, do nosso legado, de tudo o que deixarmos como marca, como sinal de nossa passagem pela Terra.

      Os estudiosos do fenômeno do suicídio, por sua vez, afirmam, com base em pesquisas, que os sobreviventes do suicídio viverão sempre propensos a repetir o ato dos seus familiares e amigos, por imitação ou contágio.

      Se você ama verdadeiramente os seus filhos, VIVA por eles cada um dia dos seus na Terra.

      Dias ruins, penosos, sofridos... Eles existem, é claro!

      Mas também os dias de encanto, de alegria, de serenidade. Que existem, apesar dos problemas que todos temos.

      Seus filhos aprenderão - com a sua resistência, insistência em viver - que a vida tem sentido, tem significado.

      Não quero e não posso avaliar o que você passa ou sente. Não há julgamento aqui. Apenas convite para que você não deixe os seus filhos abandonos, entregues a tantos e muitos riscos.

      Tentar viver é difícil, mas dá certo, pois a vida nos traz as pessoas certas para nos apoiar, nos amparar, mesmo quando tudo parece perdido.

      Minha irmã, se refaça, se reerga, busque ajuda onde for! Parece que você tem estado em depressão, que também dá insônia e rouba o sentido e o prazer de viver.

      Querendo conversar, me escreva: abelsidney@gmail.com

      Fica em paz!

      Excluir