terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Se você está pensando em suicídio agora

Por favor, espere somente alguns minutos e leia isto!

Embora eu não te conheça profundamente, sei que é alguém que sente uma dor profunda e por isso não se sente capaz de seguir adiante, por mais tempo.

Sei também que neste instante você está lendo isto, o que é muito bom!

Sei que você chegou até aqui por estar muito angustiado, pensando em pôr um fim em sua vida. Se fosse possível gostaria de estar com você, neste momento, ao seu lado, para conversarmos cara a cara! Mas por não ser possível deveremos nos conformar com a comunicação escrita.

Não vou discutir se você deve suicidar-se ou não, mas como você está comigo, aqui ao meu lado, espero que você coloque em dúvida o que está pensando em fazer.

Sentir-se confuso diante de pensamentos em torno da morte é normal. Ao mesmo tempo em que você quer morrer, é possível que, por outro lado, você deseje viver.

Não tome uma decisão tão importante, de forma precipitada. Você tem todo o tempo que deseja e sempre se pode suicidar-se mais tarde.

Muitas pessoas pensam no suicídio, pois parece não haver outra saída. Elas acreditam que não podem suportar mais tanta dor, assim como ocorre com você agora. Mas não pense que você é uma pessoa perversa por assim pensar ou que esteja louco. Ninguém escolhe suicidar-se. Ele ocorre quando a dor que sentimos é maior que os recursos para enfrentá-la.

Então, não podemos tratar o suicídio como algo correto ou incorreto, nem como um defeito de caráter ou fraqueza moral, é sim um desequilíbrio entre a dor e os recursos para vencê-la.

É possível vencer os pensamentos suicidas se:

1. Encontramos um modo de diminuir nossa dor.

2. Aumentamos nossos recursos para superá-la.

3. Ou as duas coisas ao mesmo tempo.

Não existe remédio mágico, mas também é verdade que:

. O suicídio cria uma situação irreversível para um problema passageiro.

Quando estamos deprimidos tendemos a ter uma visão estreita e pouco objetivo das coisas. Com o passar dos dias tudo pode mudar.

A maioria das pessoas que se viram às voltas com a idéia do suicídio, depois se sentiu muito felizes por estarem vivas. Na realidade não desejavam colocar um fim em suas vidas, mas queriam evitar a compaixão alheia e a dor.

Temos mais algumas considerações a fazer:

1. É muito importante que você procure alguém para conversar. Pessoas como você, que está pensando no suicídio, não deve ficar a sós. Você tem que buscar ajuda agora.

2. Conversar com alguém da família ou com algum amigo ou colega pode trazer um grande alívio à dor que sentimos. O apoio, o aconchego que recebemos aumenta nossa capacidade de enfrentar todas as situações.

3. O tempo é um fator muito importante e isso não lhe falta. O tempo é o seu maior aliado. Espere antes de tomar qualquer decisão precipitada.

4. Procure com urgência um médico ou um psicólogo. Uma pessoa que passa por um período de tristeza, de desânimo, de abatimento pode estar sofrendo de depressão. E essa doença pode tratada com medicamentos ou sessões de terapia.

Texto original: Si usted está pensando en el suicidio ahora.
Fonte: http://www.suicidioprevencion.com/antes.php?lang=es

392 comentários:

  1. aki vc vai encontrar alguém que vai te ouvir, é só dizer oq sente http://mudaeh.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. olá boa Noite ao ver esse espaço me dei conta com a minha Historia,não aconteceu comigo mas com meu Filho no Ano de 2007 depois do Ano Novo,pensei que ia Morrer dias meses Anos se passaram comecei a sentir Um medo Horrivel de morrer,cada dia que passava mais aquela ideia de morte me atormentava,Lutei Bravamente,mas fui para tratamentos mendicamentos estava com Panico,de tudo Bom muita Prece muita agua Fluidificada Passe no Centro ia caminhandobem.Tentei ler o Livro do Suicida mas nunca que consegui meu filho se suicida meu Deus meu filho foi para o inferno,mas Um belo dia sonhei com ele esse sonho foi rapido,ele estava em uma sala Só uma cama de Hospital estranha sei que era um Hospital pois reparei na Parede no corredor a porta estava entreaberta corri para perto e vi Meu Filho Ali naquele leito coberto por muitos corbertores so via o seu rosto,seus olhos Azuis nao vi mais estava entre abertos mas havia um frestinha onde ele estava me vendo eu Rapidamente ingaguei porq Andre vc fez isso meu filho Porq/porq ,ele disse me assim Mae gimido mãe eu estava enlouquecido...Agora Eu sei eu so vi um Branco estava em meu quarto choreii demais mesmo logo o dia Amanheceu,meu Deus que Aflição ele tomara conciencia do que ele tinha feito nunca vou me esquecer desse sonho mas um tempo passou eu comecei a sentir vontade de morrer Tbm dias sim outros Não, tem tempos que estou mais atacada temo qualquer dia desses fazer isso Tbm mas Eu sei o que me acontecerá,escolho pela vida,Sab a minha Luta e grande comigo mesma,cada dia que se Passa eu me sinto Forte em saber que Eu Posso comigo,embora querer patir desse Mundo,mas vou esperar a vontade de Deus que me Ama está comigo,e dificil eu bem sei,mas se o Chico suportou a Vida Jesus eu suportarei viver nesse Mundo onde encontro com PessoasLindas outas um Horror de Ser Humano!! quando Vi meu Filho pendurado em um Fil de telefone na area da minha casa esse dia nunca Mais vai sair da minha Mente Jesus querido porq Mereci ver isso Porq Senhor,cuidei desse menino com tanto carinho Fui Mae solteira para dar a sua vida ele aos vinte e poucos Anos acabou com ele,Perguntas Porqs rsrs Deus Sab todas elas Eu suponho...Fui uma Pessoa má não sei bem quem eu fui Mas o que importa agora Aconteceu Eu vi ae minha Má Sina,minha mãe me disse Marcia quando vc era pequena bb nasceu com o cordão umbilical no pescoço estava em uma pelicula tranpassada pelo cordão vai ter uma vida bem dificil minha Filha Eu mais que dipressa disse não Mãe Eu vou ter sorte Deus me Ama,mas e verdade Deus me ama sim me Deu mais dois meninos e agora vou ser Avó meu netnho então nao posso Morrer agora certo vou Morrer Depois rsrs,Não Eu quero viver Muito ainda deicha a vontade passar quem sab um dia desses eu vou encontrar meu Filho,Mero ingano,ele nao esta la pode estar voltando isso e Possivel espero saber que será ele meu André lindo meu Rapaz
      Meu querido Amigo eis aqui uma Historia de Uma Mulher que nunca se conformou com a Perda do seu Filho Amado Tenho ferdas na Alma mas sou forte,sei que estou Aqui para vencer a Mim mesmo,mas confesso estou de saco cheio desse Mundo!,Para finalizar,minha moça Kiti viajou em ferias e foi para o Sul do Pais,e por la foi em um Lugar lindo uma serra so verde eu vi Fotos e vidios chorei pois vi Deus naquele Lugar mil coisa se passaram Eu vou la um dia o nome desse lugar e Serra do Rio do Rastro Divino Maravilhoso da uma olhadinhA Meu irmão Deus vivo Ali,Obrigado linda Noite Abraços

      Excluir
    2. Marcia, você é uma das sobreviventes do suicídio mais lúcidas e resistentes que eu conheço!

      Não é fácil perder alguém nestas condições e seguir vivendo.

      Você tem lutado bravamente e todo este seu esforço há de servir de alento para outros pais e mães, familiares e amigos daqueles que decidiram partir antes da hora.

      Não desista! seu filho André, tenha certeza, se alimenta, em sua cura, de cada gota de esperança que você busca e traz para se alimentar e prosseguir adiante.

      Saiba que Deus está ao seu lado te fortalecendo a cada instante e pedindo que você seja a fonte de inspiração para muitas pessoas, muito mais do que você possa imaginar!!

      Siga firme, fortalecida e abençoada.

      Estamos sempre aqui ou no abelsidney@gmail.com para te ouvir.

      Abraços fraternos.

      do seu admirador,
      Abel Sidney

      Excluir
    3. Bem meu nome e mauro e eu penso em me matar todos os dias, esse sentimento ficou mais forte depois que a minha namora acabou com o noivado, estávamos juntos por 5 anos. A primeira vez que tentei me matar foi a 7 anos atrás, cortei meu pulso do não continuei por causa da minha mãe. Mais agora esse desejo de morrer e muito grande. Tem horas que eu quero sair dessa, mais me sinto no fundo do poco. Tenho muitos amigos mais mesmo assim me sozinho.

      Excluir
    4. Mauro, meu caro, uma perda como esta que você está vivenciando é sentida como a morte de alguém muito próximo. Daí o luto tão penoso que você está atravessando...

      Em razão da intensa dor que nos abala é comum não mais desejarmos viver.

      Mas é preciso superar esta dor, por mais profunda que ela seja!!

      Você há de encontrar outros motivos para continuar lutando. Apega-se a qualquer um. Pode ser o amor à família, à sua mãe.

      Bola pra frente!!

      Dê uma chance para você mesmo. É possível que um grande amor esteja te aguardando mais adiante...

      Evite ficar sozinho. Busque a ajuda de amigos sinceros. Desabafe, chore. A consciência da nossa fragilidade é o que pode nos fazer fortes.

      Se desejar, me escreva (abelsidney@gmail.com).

      Muita paz.
      Abel

      Excluir
    5. Abel obrigado pelo Conselho, consegui levantar a cabeça. Sou outra pessoa, procuro sempre ajudar as pessoas que estão passando por isso.

      Que Deus te abençoe.

      Excluir
  2. Oi, vou aproveitar o espaço para um desabafo. Tenho andado muito trsite e desanimada, os problemas parecem estar cada vez maiores, na faculdade fui humilhada por uma pessoa da minha classe e a pessoa que eu achava estar ficando amiga lá dentro tem estado meio "assim" comigo...creio muito em Deus e peço a Ele todos os dias pra tirar isso de mim, eu sei que a palavra Dele é muito maior do que tudo isso que venho sentindo, e que já começou a me atingir também fisicamente...as coisas que como me deixam enjoada, o pouco que ando ou faço esforço fico toda dolorida, tenho feito o máximo esforço para ser uma esposa de verdade pro meu marido mas está difícil...fico me apegando a limpeza da casa e ao meu coelho pra ver se não fico pensando só nessas coisas. No trabalho está tudo muito difícil pra mim também e a falta de concetração para estudar aumenta a cada dia mais, a viagem de volta é o meu divã, só não é quando vem um rapaz do meu lado que fala besteiras o tempo todo, assim rio um pouco e me distraio, mas quando ele não vai a vida continua a mesma. Meu marido não me conhece bem apesar dos longos anos juntos, minha mãe é muito sofrida e não quero que ela fique preocupada comigo, minha irmã foi morar longe e já faz algum tempo que não somos mais tão amigas e ela já tem seus prórpios problemas com um marido desligado e uma filha grávida aos 15 anos. Meu irmão não tem muita idéia pra conversas e a esposa dele é ótima, mas não sabe guardar nenhum segredo. Está difícil expor tudo isso o que sinto para alguém, e se eu falar em ir a um psicólogo todos vão querer saber o porque, pois sempre fui uma pessoa muito transparente, todos sabem quando estou feliz ou irritada e todo o resto que vou fazer, não gosto de mentiras e geralmente falo o que penso, mas desde novinha tive esse lado de gostar de ficar quieta no meu canto, chamavam isso de timidez, mas sei lá o que é isso. Tem dias que não quero nem conversar com ninguém, tenho dificuldades pra chegar numa pessoa, mas se por acaso começo a conhece-la me solto completamente, por isso não acho que seja timidez. Eu não sei o que está acontecendo comigo, eu era feliz apesar dos meus momentos de isolamento, os quais eu nunca pensei em ir embora dessa vida, mesmo antes de ter Jesus em meu coração, eu só precisava de um tempo quieta sabe, sem ninguém falando, só pra curtir a mim e as minhas coisas, mas ultimamente o cansaço é constante, a agonia é constante, e o pior, eu não sei porque sinto essa agonia, o meu Deus tem sido tão maravilhoso em minha vida, não entendo pq me sinto assim mesmo sabendo de tudo o que ele faz todos os dias por mim e por minha família. Eu só quero que isso passe. Não quero mais me sentir assim.

    ResponderExcluir
  3. Vou contar minha vida de 8 anos pra cá. Em 2002 era solteiro desempregado apenas trabalhava como freelancer, ganhava pouco. Tinha 28 anos, não tinha nada somente um bike bem velha. Então conheci uma menina de 15 anos que começou a trabalhar num mercadinho na rua da minha casa. Ela é muito baixinha parecia ter menos idade ainda. Eu nos 1,83 metros era gigante perto dela. Essa menina era tudo que eu não queria como namorada. Saidinha, novinha, muito comunicativa, gosta de muita gente proxima a ela. Eu sempre fui reservado. Não adiantou nos apaixonamos e fomo contra tudo que se possa imaginar principalmente a resistencia de meu pai. Bem, os anos se passaram dei muito apoio a essa pessoa em todos os sentidos. Ele fez uma faculdade junto comigo. Arrumou um bom emprego, essa coisas bens materiais e por ai vai... Bom, um belo dia de 2010 ela percebeu que não precisava de mim pra mais nada e começou a se distanciar colocando sempre a culpa sobre mim. Eu era o errado, eu não gostava de nada... E por 6 meses ou mais vivemos assim. Passei a fazer mais e mais por ela até lavar sua roupa de trabalho eu lavava de madrugada, sua comida seus mimos... Não adiantou parece que quanto mais eu fazia mais distancia ela ficava até que ela foi embora. Dia 8 de setembro nos discutimos por um motivo fútil ela foi embora deixando tudo pra trás. Desde então não tenho mais vida... Tento fazer novas amizades, fazer novas coisas, viajar, estudar novamente mas no final tudo se remete a ela. Sempre que acho que estou conseguindo sair desse buraco, ela se aproxima e achar um jeito de me jogar lá dentro novamente. Não sei mais o que fazer. Quem tiver alguma coisa por favor me ajude...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É meu amigo o tempo ja passou mas mesmo assim gostaria de lhe dar uma opinião. A pessoa mais importante na vida para você, é voce mesmo, então trata bem assi mesmo cuide de voce pense em voce. So assim voce se darar valor faça a mesma coisa invista em voce e saiba que aqui na terra é uma vida s´companheiro. Ja tive com estes pensamentos de mortes apos perder uma namorada, e ate ao perder minha mãe, mas quando comecei a trabalhar vi que a vida e o mundo e enorme e podemos aproveitar muito. Espero que vc tenha saido dessa.

      Excluir
  4. Companheiro "Anônimo", você não deixou nenhuma forma de manter contigo, mas espero que você volte a ler este post.

    Caso, volte sugiro que conversemos via email.

    Não tenho (e ninguém tem) respostas infalíveis para este ou qualquer outro problema sentimental como este. Mas conversando a gente acaba ajudando uns aos outros a buscar saídas válidas, honradas e salutares (com o mínimo de prejuízo).

    Estou à sua disposição. Abraços
    Abel (abelsidney@gmail.com)

    ResponderExcluir
  5. Eu terminei um relacionamento de 4 anos,foi minha primeira namorada,hj tenho 26 anos,ela tem 20,estou sem chão,vivemos intensamente,vivíamos juntos...não sinto prazer e alegria em mais nada...O pior é que ela já está bem,com outro e seguindo a sua vida como se nada tivesse acontecido...Estou na pior fase da vida...
    Alan...

    ResponderExcluir
  6. Alan, meu caro!

    Esta dor de amor é das mais dolorosas, sabemos bem. Mergulha a gente em correntes de tormento e desejo de morte, de fuga...

    Mas é nestes instantes que precisamos estar alertas para "preservar a própria pele", dever nosso de cada dia. "Nossa pele" tem um valor maior do que nós mesmo imaginamos. Daí o convite para que você resista e "processe o luto", pois isso é possível.

    Mire com nas histórias de outras pessoas que passaram por dores semelhantes; busque inspiração naqueles que cresceram com dificuldades desta mesma natureza. Enfim, arranque com as unhas uma razão qualquer para seguir vivendo - até que esta dor deixe de te sofrer tão intensamente.

    Estamos aqui. Conto comigo.

    Abraços e fica com Deus!

    ResponderExcluir
  7. este saite gostei un poco mas me deixo mas mal
    porke ao contrario de todas as outras pessoas eu nao ten con kem coversa como a outra mulher ke falo ai..tambem sou casada ,mas meu marido nao me conhece tambem e nao posso fala disso com minha mae ela e uma indiota nunak tv nen ai pra mim e tenho uma prima mas ela nao tem muito ideia ainda mas sobre isso pra coversa ,,,,,nas eu tenho nossao do ke esta acontecendo comigo
    eu keria ke parace tanto ke to pedindo ajuda na net xega a ser ridiculo ne ..tenho 17 anos..
    eu nao sou felizz tenho todos o s 9 sintomas de depreçao ..estou aberta a perguntas ..kero ouvir algo de alguen..eu preciso..obrigado mariane

    ResponderExcluir
  8. Mariane, você não deixou seu e-mail para conversarmos mais reservadamente. Mas não tem problema!

    Espero que você volte para esta página...

    Eu sugiro que diante do seu quadro depressivo, que você busca ajuda médica urgente. Hoje qualquer posto de saúde tem condições de encaminhar você para tratamento junto a um profissional habilitado - um psiquiatra, geralmente.

    Esteja atenta e reconheça que você PRECISA SALVAR SUA PRÓPRIA PELE. Por isso, não meça esforços para vencer suas dificuldades. Faça isso por VOCÊ e pelas pessoas que gostam de você.

    Desejando, me envie uma mensagem (abelsidney@gmail.com).

    Fica com Deus!
    Abel

    ResponderExcluir
  9. Olá Abel
    Estou passando por um período tenebroso na minha vida. Eu nunca me realizei na vida afetiva.
    Fiquei casada durante 8 anos com um homem que dizia sempre não me amar, apenas gostava de mim. Na primeira oportunidade ele deixou-me para fora de casa. Fiquei igual a um cachorro abandonado, sem direção, sem chão e minha vida transformou-se num tormento. Alimentei a cada dia o ressentimento, a magoa... Para superar essa decepção eu resolvi ir embora para França. Quando se está desiquilibrado você acaba fazendo coisas sem nexo. Fui, mas enfim a minha fuga acabou ainda mais com minha auto estima. Pouco importa se você está no Pior lugar do Brasil ou está em Paris, a dor viajou comigo. Foi e voltou... Aí tentei ir embora para Argentina, Buenos Aires... uma nova tentativa um antigo paquera e não durou mais que 1 mês de relacionamento e ai estava eu novamente voltando para casa dos meus pais.
    Então em 2009 eu já estava no Brasil, busquei força e coragem e fui atras de um trabalho, pois havia gastado até o que eu não tinha.
    No meu novo trabalho aconteceu uma coisa que não estava nos meus planos, o Diretor da empresa começou a me paquerar, eu no começo fugia, me fazia de desentendida, mesmo porque ele além de casado é evangelico. Alias 99% dos meus companheiros de trabalho eram evangelicos. Eu a única espirita do meio. Mas com o passar do tempo comecei a gostar daquela situação, meu patrão um homem inteligente, simpático, atencioso, tratava-me como uma princesa. E acabamos tendo um caso e ele confessou que estava amando-me. Mas por causa dos nossos encontros constantes e as evidencias dentro da empresa sua mulher acabou desconfiando.
    Eu para preserva-lo fui obrigada a pedir demissão. Mas até a data de hoje ele ainda diz que me ama e temos nos encontrado. Mas esta situação tem me deixado extremamente triste, desiquilibrada, deprimida. A cada dia o desejo de suicidio aumenta mais. Eu sai desse trabalho em Dez de 2010 e só agora havia conseguido um trabalho. Depois de 10 dias trabalhando minha mãe sofreu um acidente, que a impossibilita de andar por uns meses. Resultado eu tive que pedir novamente para sir do trabalho, agora para cuidar da minha mãe e dos afazeres de casa.
    Eu sou uma mulher bonita, inteligente mas nada na minha vida dá certo. Sinto-me nula
    É dificil de explicar o vazio que sinto dentro de mim.
    E pior eu amo aquele homem, estava até mudando de crença, religião para agrada-lo.
    Hoje mesmo eu o vi, ao mesmo tempo que sinto-me feliz com sua presença, depois vem uma ira, uma revolta, uma coisa estranha que me consome.
    Pensei em vingar a minha dor e destruir seu casamento, com fotos e mensagens que recebo diariamente dele. Mas depois da furia que expressei ao mesmo, eu voltei ao meu estado quase normal e não o fiz, pois não combina com minha índole.
    Mas não sei o que fazer com esse desejo imenso de morrer... acho que não tem mais solução para minha vida.
    Eu já pedi forças a Deus, eu já procurei ajuda médica, já fiz de tudo...
    Se você tiver uma palavra amiga um conselho eu agradeço de coração.

    Obrigada

    Lu

    ResponderExcluir
  10. Lu, bom dia!

    Acho que temos a mesma faixa etária por algumas pistas deixadas por você. Então, podemos conversar com mais proximidade, também por esta razão.

    Ao acordar, agorinha, lembrei-me de que estamos no Dia da Pátria. "Independência ou morte"!

    Ontem, eu comentava com meus filhos sobre os desfiles da "nossa época", algo que está muito distante da vivência deles, hoje.

    Mas eu disse tudo isso para abordar a questão do "libertarmo-nos" o quanto é tempo, antes que a morte nos seduza com suas promessas falsas de 'esquecimento', de 'mergulho no nada' ou até mesmo da 'possibilidade de recomeço de qualquer forma'...

    O desafio seu, o nosso, é SALVARMOS JÁ A NOSSA PRÓPRIA PELE.

    Isso é o que verdadeiramente importa!

    Resistência e serenidade para dizermos NÃO ao abismo que nos atrai, quando mais precisamos de forças para prosseguir, mesmo com o nosso cortejo de dores, com os tantos nós a desatar, com problemas aparentemente insolúveis a nos torturar.

    Faz todo sentido aquela ideia da possibilidade de FAZERMOS UM NOVO FIM, que o Chico Xavier nos deu naquela frase tão curtinha e expressiva.

    Mas para conseguirmos CHEGAR LÁ, no final desta estrada, nesta existência, É PRECISO RESISTIR às muitas etapas de luta que virão.

    Tenha força, portanto, para se desembaraçar do seu amante! Ele precisa se reorientar e somente você poderá ajudá-lo a recomeçar também sob outras bases - a reconquista da fé, a reaproximação verdadeira com a esposa, com os filhos.

    Vai doer um pouco, mas esta é a situação mais emergencial. Ore e busque forças em Deus, que nunca nos abandona.

    Comece, pois a sua retomada, refazendo-se, recompondo-se com esta ação reparadora.

    Por ora, é isso. Você poderá manter contato comigo diretamente (abelsidney@gmail.com) ou por aqui mesmo, anonimamente, como quiser.

    Fica Deus e na paz possível deste instante.

    Um grande abraço e bem-vinda novamente à luta pela vida e pela reconquista de si mesma!

    ResponderExcluir
  11. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  12. estou pensando em suícidio pelo menos umas 10 vezes ao dia :/

    ResponderExcluir
  13. Prezado/a companheiro/a anônimo/a:

    Ninguém pensa em suicídio á toa, mas porque as coisas não estão bem, por algum motivo. Há problemas a resolver, dores incomodando, desconforto na alma.

    O que fazer? Pedir ajuda! Temos o direito de, nestas urgências/emergências, ser tratados, acolhidos, amparados.

    Se precisar de um ombro amigo, estou aqui: abelsidney@gmail.com. Se precisar ligar te passa o meu telefone.

    A vida é muito importante e SUA VIDA também é!! Acredite nisso e a preserve.

    Fica com Deus e em paz.

    ResponderExcluir
  14. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  15. Oi, Ninha!

    Esta fase da sua vida é, realmente, de muita turbulência. Mas não há males que durem para sempre. Os mais antigos diziam plenos de fé sincera e genuína: "tudo passa"! E eles tem toda razão. Não só passa, mas se renova e tudo acaba por se resolver (dentro e fora de nós).

    Eu mesmo sou testemunha disso, quando alguns anos atrás (uns 3 ou 4) me vi às voltas com a falência financeira, uma esposa doente (síndrome autoimune), um filho especial e mais outros quatro filhos para cuidar... Eu que tinha sido professor universitário com salário razoável por muitos anos, me vi naquela situação, de ter os amigos mantendo minha casa, do leite à gasolina.

    Mas passou! E a fé, posso afirmar sem meias palavras, foi o combustível que me ajudou a atravessar o abismo, confiante que eu venceria.

    O seu caso é diferente, pois se trata de perdas - o desenlace da mãe, o abandono do pai e do namorado, o golpe financeiro... tudo isso somado se traduz por muitas aflições. E, no auge da dor, a gente pensa mesmo em "aliviar-se ou fugir da dor" por meio do suicídio, embora não deseje morrer... Enfim, tudo se torna muito confuso. E isso é natural.

    Peço, Ninha, que você asserene o coração e busque auxílio - psicólogo, psiquiatra, pois depois de instalada a depressão (processo químico-físico, que afeta o quimismo cerebral) precisamos da ajuda de medicamentos para recompor a serotonina e outros elementos que proporcionam sensação de prazer, de alívio.

    No mais, é buscar lá dentro de você as mesmas forças que um dia te impulsionaram na busca de uma boa carreira profissional (e você conquistou!). Tenha fé em Deus! Ele te conduzirá a portos seguros de paz e serenidade.

    Confia e segue!!

    Estamos à sua disposição (abelsidney@gmail.com)

    ResponderExcluir
  16. Já pensei diversas vezes em me matar, e foi assim que cheguei a esse blog... em um dia que estava chorando horrores e meio desesperada achei este texto... o que me confortou bastante... me fez pensar em diversas coisas... inclusive em minha familia... sou o tipo de pessoa que sempre coloca os outros em minha frente... na maioria das vezes não ligo se vou me sentir mal... e tudo para deixar as pessoas a minha volta felizes... sou de relevar muita coisa... acredite... muita coisa mesmo... mas tem horas que não aguento... sou o tipo de pessoa que ainda acha que as pessoas ao meu redor vão fazer o mesmo que faço por elas... e quando elas me decepcionam até pelo tanto de coisas que relevo fico mal... quando decido me expressar as pessoas a minha volta não levam meus sentimentos a sério... acham que eu fico mal por nada... que meus problemas são leves... que besteiras me deixam mal... mas as pessoas não veem o quanto eu me mato para deixar elas felizes... fiz um curso na faculdade que odeio (visando a felicidade de meus pais)... tenho tido muitos problemas em meu relacionamento... mudei tanto e abro mão de tanto... e quando me expresso novamente (como sempre acontece quando converso com as pessoas) ele acha q ligo para coisas bobas e que sou imatura (isso dps de fazer de td pela pessoa)... quanto a familia... eles são atenciosos... mas pelo fato de no dia a dia eu transparecer uma pessoa tranquila... quando falo de meus problemas ninguém dá muita atenção... pelo fato de eu ser mais independente e já trabalhar e ralar muito creio eu que isso ajuda um pouco na visão deles de que eu estou sempre bem... me sinto como uma bomba relógio... guardando tudo só pra mim... e desabando quando não tem ninguém perto... tá realmente difícil de aguentar... é pressão demais... em uma das vezes que pensei em me matar fiquei pensando "quando eu morrer... aí sim as pessoas vão dar valor nas coisas que eu faço e no quanto me mato por eles"... entendo que preciso cuidar de mim e me defender as vezes... mas eu simplesmente não consigo...

    ResponderExcluir
  17. Cara anônima!

    Como você já percebeu ao visitar este blog, esta postagem é o cantinho das mais diversas manifestações - de esperança, de desespero, de raiva, de busca de um sentido para a vida...

    Seja bem-vinda!

    Tenho algo a te dizer: siga firme!! Cuide-se bem e melhor de si mesma. Você merece e precisa de cuidados - de afagos, de atenção, de carinho dos seus familiares e amigos. Talvez por ter estado tão "doadora", acabou esquecendo de você própria!!

    Todo cuidador precisa de cuidados.

    Busque fazer terapia.

    E não desista de prosseguir!! Estamos aqui. Escreva para o meu email, se desejar: abelsidney@gmail.com

    Grande abraço!
    Abel

    ResponderExcluir
  18. Hoje é sábado e meu marido mais uma vez foi passar a noite com a amante. Ultimamente ele tem gritado comigo na presença de outras pessoas e isso me mata de vergonha. Ele me humilha pelo fato de eu ganhar pouco no meu trabalho e não ser boa dona de casa. Estou com o pensamento fixo em VINGANÇA e a única palavra que me vem à cabeça é SUICÍDIO. Como ele se sentiria se eu me matasse? Tô pensando em deixar várias cartas destinadas aos familiares dele e aos amigos falando de tudo que ele tem feito a mim. As pessoas sentirão raiva dele e minha vingança estará concretizada.
    Sempre fui uma pessoa alegre, espontânea, otimista, etc. Mas depois de 15 anos de humilhações que foram se intensificando com o tempo algo está se modificando dentro de mim. Tenho chorado muito e só me sinto feliz no trabalho. Estou dependendo emocionalmente do trabalho porque lá eu esqueço dele e da vida miserável que estou levando e que só piora. Eu sinto um vazio do tamanho do mundo quando constato que estou só, sábado à noite... Eu que não sou uma mulher feia, já que este é o principal argumento dos maridos adúlteros. Sempre gostei de sexo talvez até mais que ele e falta de sexo também é um ótimo argumento.
    Não tenho dinheiro para terapia e não acredito em religião. Logo, não me aconselhem nada do gênero. Na verdade não espero que me salvem com palavras; quero apenas desabafar.

    ResponderExcluir
  19. Prezada anônima, desta última mensagem (9 de junho de 2012),

    Pensei muito antes de escrever. Primeiro pelas suas últimas - buscava "apenas desabafar" e não lhe interessava conselhos, nem ser salva por "palavras"...

    Mas a palavra, independe do conteúdo específico que carregue pode sim ajudar e até curar (mesmo sem propósitos salvacionistas).

    Você vem sofrendo maus-tratos contínuos de seu esposo e talvez já tenha passado da hora de romper esta relação e dar-se a oportunidade de se refazer, de recomeçar a vida, talvez até em outras paragens.

    Nestas horas é inevitável não me lembrar do poema Pasárgada, do Manuel Bandeira. Vá, minha cara, vá embora para qualquer lugar que te seja melhor, mais acolhedor, mais saudável, do que viver ao lado desta pessoa, que acabará por arrastar para o abismo.

    A vingança não resolverá o seu problema e - ele, insensível como é - não se abalará com o seu gesto, pois o tomará como um atestado de desajuste, de loucura...

    Ele não há de ser tão importante que valha a tua própria vida!!

    Se ele um dia tenha que se abalar, se arrepender, que seja por te perder e te ver recomeçar a vida em outro lugar, com outras pessoas ao seu redor, que te ame verdadeiramente.

    Eu faria isso, tão logo conseguisse juntar o mínimo de recursos e a coragem de partir!

    Há sempre oportunidade neste mundo afora para aqueles que lutam e perseveram. E você, que é uma guerreira, por ter suportado tantas dificuldades nestes anos todos, poderá dar a volta por cima.

    Conte comigo!
    Abel (abelsidney@gmail.com)

    ResponderExcluir
  20. Não existe dor maior que estou passando, estou saindo de um casamento fracassado cheio de ódio, magoas e orgulho. já cheguei a ficar uma semana sem dormir e no momento esta começando tudo outra vez!!! Tenho medo quando vai chegando a noite!!! Estou com uma dor no peito que parece que vai explodir. Meu deus até quando?

    ResponderExcluir
  21. Tenho respondido a todos os recados, mesmo dos anônimos, pois é necessário dar retorno a quem posta seus comentários aqui (é o mínimo que devemos fazer).

    Alguns destes anônimos acabam por nos escrever (enviando mensagem para abelsidney@gmail.com)e temos podido ser o "ombro amigo" dos que precisam de acolhimento e forças para continuar vivendo.

    Por isso, caro/a anônimo/a, estou à sua disposição. Antes que chegue a noite, me escreva!!

    Muita paz.
    Abel

    ResponderExcluir
  22. queria contar tudo que esta acontecendo comigo! mais nao tenho coragem acho que assim aninomo tenho coragem de falar mais e logico se tiver alguem querendo me ouvir porque a unica coisa que peço a Deus e que eu morra todos os dias peço isso! ja estou muito discrente nao estou mais acreditando que deus existe mesmo perdi o gosto pela vida nao tenho concentraçao e nem gosto por nada penso em me matar tdos os dias varias vezes, sinto muita vontade de chorar ou desabafar com alguem mais nao consigo nenhum dos dois minha situação e muito complicada nao tenho coragem de consultar com algum pscicologo ta dificil levar a vida ja estou pensando ate em uma data pra resolver minha vida pois nao quero deixar nada de dividas e coisas que eu fiz para meus familiares! ta muito dificil!

    ResponderExcluir
  23. Caro anônimo, estamos à sua disposição para conversar. Eu e minha colega Paula (paulabarretomeirelles@gmail.com), que tem um ombro tamanho gigante.

    Lembre-se que sempre há soluções; todo mal é passageiro. Não desista!!

    Entre em contato, se desejar. Estamos aqui!!

    ResponderExcluir
  24. Minha história é a seguinte: Sou Bissexual(não assumido), tenho 20 anos. Me apaixonei por um cara da minha faculdade, disse meus sentimentos, mas ele nunca mais falou comigo e me ignora. Fui precipitado, eu sei. Tenho raiva por ser assim, queria ser como qualquer outro garoto da minha idade.
    Meus pais e amigos nem desconfiam disso, e sei que são muito preconceituosos.
    Tenho baixa auto-estima, e por vezes já pensei em me matar. Sou meio Espirita e sei que com a morte não irá resolver os problemas, mas esse tormento não tem fim, e acho que vai durar em quanto estiver vivo. Sou dedicado no que faço, meus professores me elogiam bastante, mas muitos nem imaginam o dilema que passo.
    Me sinto feio, a pior pessoa do mundo, por não ter alguém que se interesse por mim.Queria namorar, me divertir... queria não ter esses desejos. Queria ser alguém normal.

    ResponderExcluir
  25. Meu caro, segure as pontas e vamos conversar. Estou aguardando seu email. Fica em paz. Abel

    ResponderExcluir
  26. Estou pensando em suicídio ,não tenho mais vontade d viver ,minha vida acabou.Já faz 3 meses q não saio da minha cama choro dia e noite estou m sentindo aozinha angustiada. Fui casada 11 anos ,meu marido m largou c 2 filhos,já se passaram 8 anos e eu não consegui superar a perda e nem ter força mais para lutar.\não consigo me refazer na aréa d trabalho estou desempregada sem vontade d sair d casa p nada .A unica coisa q m passa na cabeça n momento é a morte não sei mais o q fazer,,,estou desesperada,.

    ResponderExcluir
  27. Minha cara, sempre é tempo de recomeçar e refazer o caminho. Pense nos seus dois filhos e no que deixaria para eles de herança com a sua desistência... Lute, enfrente, que a vida responderá te amparando, te abrindo novos horizontes. Toda dor, toda perda pode ser superada. Não te faltará auxílio. Decida pela vida, pela resistência. Se quiser me contactar, meu email é abelsidney@gmail.com Podemos conversar. Estamos aqui! Fica em paz.

    ResponderExcluir
  28. Estou por um fio falta pouco eu trabalho armado mais falta coragem.falta coragem sou mesmo um covarde.

    ResponderExcluir
  29. Importa seguir lutando, resistindo. Se desejar me escreva! Fica em paz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Abel porque sera que acontece isso conosco por que deus abandona a gente assim.

      Excluir
    2. Abandona, não! A gente é que se embaraça nos problemas e dificuldades e perde a noção do que acontece verdadeiramente à nossa volta. A depressão costuma fazer isso: nos deixa cego para as boas coisas da vida e tudo se torna confuso, sem sentido...

      Você tem buscar arejar a cabeça, se renovar. Conversar, desabafar é um bom caminho.

      Estamos aqui!

      Fica com Deus e na paz possível neste momento.

      Excluir
  30. Não há um dia que eu não pense em dar fim a minha vida.
    O dias demoram a passar e a angústia em meu peito só aumenta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estamos aqui para conversar. Se quiser partilhar suas dores, escreva (abelsidney@gmail.com). Não faço pregações, não prometo salvação;) Até já!

      Excluir
  31. Não sei pra que seguir vivendo, se não dou conta da vida. Não consigo ganhar dinheiro trabalhando, odeio meu trabalho. Não consigo ver minhas filhas, sofro alienação parental. Não consigo fazer minha namorada gozar. Não conegui sucesso no esporte que amava. Não conigo pagar minhas contas. Não consigo controlar meu humor, e por conta disso, perdi meus amigos. Vivo refém de uma doença (transtorno bipolar) que é quem manda no meu estado de espírito. Sou dependente químico, sinto que meu cérebro está vazado, irreversivelmente destruído. Não tenho controle sobre nada. Tenho medo da vida. Odeio o que o mundo a minha volta se tornou. Odeio a futilidade humana. Odeio ver que os imbecis são felizes e do alto de sua ignorância, conseguem sucesso em tudo, sem merecer. Não me sinto fazendo parte de nada. Não me sinto em comunhão com nada. Minha irmã, que também era bipolar, se suicidou a 3 anos. A morte deve ser algo aconchegante. Felicidade já não existe mesmo. E entre a infelicidade e o nada que é a morte, eu acho que prefiro o nada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É natural que gente, por vezes, se sinta "sem saída", "sem vontade de viver" em razão dos problemas que parecem nos soterrar...

      Quantos, porém, passaram por situações semelhantes ou piores do que a sua e superaram as turbulências e viveram por longos anos com uma qualidade razoável de vida e "apegados à cada segundo de vida"?

      O transtorno bipolar pode ser "mantido sob determinado controle", "amenizado", nós sabemos. Enfim, dá para ir vivendo.

      Estamos aqui, à sua disposição, para conversarmos, caso você deseje. Escreva (abelsidney@gmail.com).

      Já que você está fazendo uma aposta (ao crer que a morte é o mesmo que o "nada", o "nada existir"), quem sabe não seja melhor acreditar que viver mais alguns anos possa dar algum resultado positivo e compensador?! Por quê não arriscar loucamente na vida? É menos danoso do que o risco de se surpreender "vivo" após uma "morte" que pode não existir de fato;)

      Até já!
      Abel

      Excluir
  32. Abel, gostaria muito de conversar com você. Pode ser por email? É um pouco urgente. Obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode sim, estou à disposição no abelsidney@gmail.com. Até já!

      Excluir
  33. Eu era uma criança normal até os oito anos, quando pra desgraça da minha vida minha mãe faleceu, já se passaram dez anos e nunca superei isso, não consigo ser feliz, por mais que apareçam "lapsos" de alegria, sempre volto a minha solidão e tristeza de sempre,nao consigo ser como os outros, não gosto de festas, não tenho muitos amigos, e os que tenho são mais "colegas" do que amigos verdadeiros. não costumo falar mada deste gênero com pais ou irmaos, eles nao entendem, não dao importância ao que eu sinto queria ser um adolescente "normal" , sair , aprontar, ser feliz como os outros são.. mas simplesmente não consigo. O pior são as crises, quando eu fico sozinho ,várias vezes eu penso em suicídio, fico triste comigo mesmo por pensar nisso, e eu venho hà tempos tentando afastar esses pensamentos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro "adolescente", não é fácil sentir a perda de alguém tão especial quanto a nossa própria mãe. Elas são insubstituíveis! Deixam um vazio, que nem sempre conseguimos preencher, vida afora.

      Mas a vida tem que continuar! O luto tem que ser finalizado, do contrário adoecemos e morremos - de saudade, de tristeza, de solidão.

      Pensar em suicídio é, portanto, muito comum quando não conseguimos finalizar as etapas do luto. Queremos morrer também.

      Mas tudo isso pode ser superado, vencido. Há tratamento, há terapia.

      Procure ajuda!! Não fique carregando sozinho este peso. Ajude-se.

      Sua mãe, com certeza, deseja vê-lo melhor, saudável e abraçado à vida.

      Se desejar podemos conversar. Meu e-mail é abelsidney@gmail.com. O ombro é grande e a estadia, virtual, é gratuita.

      Muita paz, meu caro. Siga firme aí.
      Abel

      Excluir
  34. Olá Abel.. minha vida está muito complicada, faz 4 anos que terminei um namoro, quase casei, mas deu tudo errado, um ano depois ainda tinha forças, praticava esportes, mas do final de 2010 pra cá minha auto-estima despencou, desde então tenho experimentado os suplicios da solidão, tenho o apoio dos meus pais dos meus irmãos, mas chega finais de semana é uma tortura, sabado a noite principalmente,fico em casa muito só com uma dor terrível na alma, que me leva ao desespero. sou jovem ainda mas tenho envelhecido muito, perdi os cabelos, acho que devido a genetica e stress, tenho fumando 1 maço de cigarros por dia, tive um lance passageiro com uma garota ano passado que só me iludiu, e isso tem prejudicado minha vida academica e profissional, tem dias que me sinto um lixo, psiquiatra não esta adiantando, estou viciado em alprazolam, as vezes misturo com alchool sinto uma profunda vontade de morrer.. queria ter uma familia filhos ser uma pessoa normal mas acho que não vou conseguir, nao tenho com quem falar a maior parte do tempo, só não cometi suicidio ainda porque sou espirita. Minha depressão se agrava com o tempo e eu não sei o que fazer, nem por onde começar..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu estou precisando de ajuda me endevedei bastante estou pensando em suicidio e nao vejo saida ja estou cansado de tanto adiar pagamento e sofrer amiaças e nao sei o que faser preciso de ajuda urgente se alguem poder me ajudar me deser o que faser a unica coisa que eu tenho e minha casa que esta nome dos meus filhos que sao de menor e eu nao sei o que faser estou dsesperado amanhá e segunda feira e o praso que eles me deram termina . Meu email e jalesnaves@ hotmail.com.

      Excluir
  35. Caro amigo espírita (confrade, como dizemos, não é?!). Não deixe teu coração navegar por águas tão turvas! Asserena-te. A hora é de te refazer, de "salvar a própria pele", de "viver um dia de cada vez", de "fazer valer cada segundo vivido".

    Como? Não há receita pronta, mas seguem algumas sugestões úteis:

    1) aceite as coisas como elas tem se apresentado (não exatamente como você as tem percebido;) elas podem não estar assim tão ruins, mas é certo que poderão se tornar melhor e isso acontecerá em algum momento, principalmente se você resistir, perseverar "para ver, apreciar", logo mais.

    2) faça o exercício do "amar mais do que ser amado" - o maior barato pode (e está) em servir, em fazer outras pessoas felizes - isso espanta qualquer solidão e os seus frutos costumam nos trazer recompensas emocionais quase que imediatas...

    3) rompa com "o ridículo dos homens" - com as imposições sociais e as limitações que tentam nos enquadrar. enfim, viva uma vida simples e besta sim, despojada, sem as pressões do consumismo... a gente acaba se atormentando muito em razão do que as pessoas pensam ou deixam de pensar de nós...

    4) leia o poema do Manuel Bandeira, exaustivamente:

    E quando eu estiver mais triste
    Mas triste de não ter jeito
    Quando de noite me der
    Vontade de me matar
    — Lá sou amigo do rei —
    Terei a mulher que eu quero
    Na cama que escolherei
    Vou-me embora pra Pasárgada.

    5) Busque, cria a sua Pasárgada. Já fiz isso. Chutei o pau da barraca e fui cuidar de mim, para me refazer, para recomeçar. Tenho vencido, me superado...

    Por fim, saiba que o caminho é longo, cheio de tropeços; tenha a certeza de que não estamos abandonados; que somos "heróis em jornada" e nada (a não ser nossa fraquezas) poderá nos deter.

    Siga firme aí. Vamos conversando. Sempre é possível recomeçar, refazer, por mais amargas sejam as horas, as circunstâncias, as quedas.

    Levanta e vá, o caminho te aguarda os primeiros passos.

    Fica com Deus e em paz.

    PS.: se confiar, envie-me depois os seus dados para iniciarmos por aqui e no Tupyara um tratamento espiritual a distância.

    ResponderExcluir
  36. Olá, neste momento que escrevo tbm me derramo em lagrimas, a alguns dias não consigo mais suportar o fato de estar vivo. eu nasci em 31 de agosto de 1984, tenho minhas lembranças mais fortes dos meus 4 anos de idade, isso é incomum acredito eu, mas realmente me marcam até hj. eu sou gay, desde essa idade tenho essa noção, pq me despertava o desejo pelo mesmo sexo, mas desde essa idade eu me lembro de meu pai me batendo por eu gostar de bonecas e coisas do tipo. com 5 anos meu tio, irmão do meu pai me agarrou a força, eu realmente não qria, mas acredito q ele tenha percebido minha inclinaçãuso de criança o a ser gay, e então acabou abusando de mim, eu fiquei com isso guardado até hj, que estou expondo a tds, mesmo que anonimo, na epoca alguem viu e reconheceu ele, sendo então ele preso por pedofilia, mas nunca descobriram quem era a criança. e eu mesmo depois de crescido não tive coragem de falar q a criança era eu. mesmo sendo gay, assumido para mim somente, tenho medo da sociedade, então me escondo. tenho trabalhos incomum para gay, sou militar, sei q tem muitos mas que como eu estão somente para se esconder atras da farda. eu sou infeliz nesse trabalho. voltando, até eu chegar em minha adolecencia foram muitas as provações que passei, amigos q perdi, enfim, mas até então dava para suportar. sai de minha casa com 23 anos, acabei me mudando com um rapaz que conheci e estou até hj com ele, falei para minha mãe o que eu era e ela me subjugou, disse até q nem me qria como filho. meu pai, que alias eu achava q era meu pai, se calou, desde q me mudei para minha casa, ele nunca pisou dentro dela. este que eu achava q era meu pai descobri q não era, conheci o verdadeiro com 25 anos pq o destino quis que eu conhecesse, sou idêntico a ele, e minha mão ao velo junto com algumas amigas acabou tendo q expor a situação, mas eu não tenho muito contato com ele, pq ja perdi muita gente por ser homossexual, então prefiri me isolar, nem ter muito contato. nessa correria da vida acabei fazendo algumas dividas, fiquei desempregado e as dividas continuaram, aumentaram e aumentaram, hj com o emprego q tenho de militar não estou dando conta das contas, e cobrança e mais cobranças, faço o possivel para manterme em dia, mas hj não dá mais, preciso pagar um aluguel de uma casa onde eu fico, pq trabalho em uma cidade longe de onde moro com meu companheiro, e amanha não terei esse dinheiro para pagar, emprestei de algumas pessoas tbm acreditando q iria conseguir fazer um emprestimo hj mas me foi negado e tenho q paga-las tbm, e eu n suporto dever. e eu estou tentando, trabalhando pra mais, correndo atras, mas meu companheiro em vez de me entender acha q eu saio com outros homens, e estou vivendo em um momento do relacionamento que sem ele fico pior e com ele fico cada dia mais estressado. eu preciso muito d alguem pra conversar e ele q seria o unico esta bravo comigo pq acha q eu o traio, alem de q ele é do tipo q não aceita homossexual afeminado, e eu dentro d mim gosto de muitas coisas de mulher. mas isso td deixo escondido pra mim, mas ele com esse tempo de convivencia percebeu isto, apesar dele dizer q me ama, ele não consegue ficar ao meu lado pq fica inojado por eu ser assim. para ir trabalhar eu coloco minhas farda e ando pelas ruas sendo julgado por erros de outras pessoas q tbm usam farda, corro o risco de ser morto a qualquer momento durante as 5 horas de viagem que faço para ir trabalhar. chego no serviço tento resolver os problemas das pessoas, mesmo tendo os meus tão fortes.

    ResponderExcluir
  37. (CONTINUANDO... )as vezes para qm esta lendo isto, pode n ser muita coisa, mas para mim é algo muito grande. e eu estou deixando de gostar de estar nesse mundo. alem do preconceito pela minha opção sexual, sofro tbm pela minha cor, sou negro e akelas historias de n deixar entrar em loja, ser julgado de ladrão...etc... passei por tudo, até cuspiram na minha cara por eu ser negro. fui entrar com processo, so me deixou mais humilhado, para agir na lei era preciso que eu me rebaixasse, mais ainda...como se minha raça de nada valesse, o preconceito ta ai com gordos e magros, negros e brancos, heteros e gays, mulheres...idosos... deficientes...para completar eu sou adepto de religião afro brasileira, sou umbandista, religião q muitos não compreendem, mas é a unica que me tras conforto e me ensina a ser alguem melhor. não tem nada de macumba pra fazer mau, só bem, mas onde chego "ai vem o macumbeiro" "ai vem o macaco" "ai vem o gayzinho" como posso chegar a algum lugar se meus caminhos estão bloqueados pela sociedade. eu não tenho tanta força assim. APESAR DE TUDO EU AMO MINHA MÃE, MEU PADRASTO, NÃO TIVE A OPORTUNIDADE DE CONHECER MEU PAI PQ PELO Q EU CONHECI ELE TBM N ME APROVARIA. AMO MEU COMPANHEIRO, MUITO, APESAR DE ELE ULTIMAMENTE NÃO ME COMPREENDER. MEU IRMÃO TBM. EU NÃO TENHO RAIVA DE NINGUEM, NÃO GUARDO RANCOR, EU SÓ QUERIA SER COMPREENDIDO, MAS EU ACREDITO QUE NÃO POSSO. ENTÃO TOMEI ESSA DECISÃO, PRA Q CONTINUAR SE NÃO CONSIGO AGRADAR QM EU MAIS AMO. SE NEM MINHAS CONTAS EU CONSIGO PAGAR. E TD PARECE Q ME LEVOU A ESSE FINAL, ATÉ A ARMA FICOU DE FACIL ACESSO PARA DAR O ULTIMATO. BOM, SEI Q ESTOU COMO ANONIMO, MAS ESSA HISTORIA, BEM RESUMIDA É PARA SER EXPOSTA E MOSTRAR Q É A SOCIEDADE QUE ACABA COM AS PESSOAS. ESSAS SÃO AS ULTIMAS PALAVRAS DESTE SER EM VIDA, EU ACREDITO QUE TEREI OUTRA E QUEM SABE NESTA OUTRA VIDA EU POSSA FAZER A DIFERENÇA, PQ NESTA EU NÃO CONSEGUI.

    ESTOU COM MINHA ARMA NA MÃO, CARREGADA E MUNICIADA, DESTRAVADA. ESTOU EM MINHA CASA, NA SALA, SINTO UMA GRANDE PAZ PAIRANDO PELO LUGAR, UM SILÊNCIO ABSOLUTO.

    QUANDO TERMINAR DE LER SÓ PEÇO QUE DIGAM "DEUS CUIDE DE VOCÊ", SABEREI QUE É PARA MIM. ADEUS.

    NASCI EM 31 DE AGOSTO DE 1984 E MEU FIM É HJ DIA 17 DE JULHO DE 2013. E QM ME MATOU FOI O PRECONCEITO DA SOCIEDADE.

    ResponderExcluir
  38. Caro anônimo, estamos aqui! Primeiramente acredite que você não está abandonado. Mesmo que virtualmente estou à sua disposição. Se quiser continuar a conversar via e-mail, fique à vontade (abelsidney@gmail.com).

    Os seus problemas não são pequenos, mas tudo pode ser ajeitado. A hora é de lutar para salvar a própria pele. Sua vida vale mais do que tudo e todos os que estão à sua volta.

    Ame-se mais e enfrente cada um dos problemas com serenidade. Misturar todas as estações pode ser uma "dose fatal".

    Dívidas, quem não tem ou já teve? É possível negociar, mesmo que nos custe um pouco o fato de termos que nos "humilhar"... Já passei por isso, com 5 filhos para tratar, anos atrás, mas superamos a tudo.

    Nestas horas temos que nos agarrar a quem tem o poder de nos ajudar. A fé, então, pode nos ajudar. Fé em Deus, na vida, na vida após a vida, na vitória que merecemos ter contra todos os obstáculos.

    Não se entregue! Ter fé, nestas horas difíceis, é acreditar que além da noite escura a madrugada nos aguarda e que, logo depois das agonias, virá novamente o dia.

    Respira fundo, busque auxílio onde você puder encontrar e siga adiante mais alguns passos.

    Estamos aqui!

    Muita paz.

    Abel

    ResponderExcluir
  39. me sinto um lixo, um inútil uma pessoa sem fundamento pra nada. A minha ex namorada me trocou por outro, eu me sinto mal me sinto feio, me sinto como se nada tivesse solução sempre penso em suicídio pra tentar amenizar essa dor, por mais que eu não seja feio ou nada do tipo eu me vejo como inútil, não sei mais oque fazer, to parando de pensar nos outros antes de cometer suicídio e pensando em mim apenas como um conforto para as dores imaginarias minhas,já perdi vários amigos por estar pensando mais nessas coisas e não saindo muito, amigos meus de verdade não sabem desses meus problemas não sei mais oque fazer, se alguém leu isso mas se leu tente me ajudar por favor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sentir-se mal, feio, abandonado, imprestável etc. etc. é comum. A gente não deve é tentar carregar tudo isso nas costas!! Por isso devemos sacudir a poeira, isto é, deixar esta sintonia pesada, de mal-estar.

      Temos que acreditar que somos capazes de dar a volta por cima. Não para provar alguma coisa a alguém, mas para nos satisfazer a nós mesmos. AMAR A SI MESMO é isso: nos valorizar e acreditar que somos capazes de vencer as adversidades; que podemos reescrever nossa história, dar um novo significado à nossa vida.

      Siga em frente (enfrentando a tudo) sem temor e sem pesar. Nada de grilo, nem de culpa. Muito menos de toneladas de lixo nas costas.

      Você poderá superar tudo isso. Busque ajuda. Pensa também em Deus, que está sempre de plantão para todas as emergências:)

      Muita paz.

      Se quiser conversar mais, segue meu e-mail (abelsidney@gmail.com).

      Excluir
  40. Só vim dizer obrigado. Esse texto me foi como um abraço, porém sinto que meu tempo é breve. Mesmo assim, muito obrigado. Saber que há pessoas boas, que se importam com outras no mundo é bastante positivo. Acredito que isso é e será útil para outros que querem tomar essa dura decisão. A esses desejo toda a felicidade do mundo e forças para suportar tanta dor sobre os ombros.

    ResponderExcluir
  41. eu é que agradeço pela sua lembrança e carinho. quanto ao seu tempo, quem sabe não ganhas um sobretempo?! o que importa, na verdade, é viver bem o tempo que você diz te restar... muita paz!

    ResponderExcluir
  42. Mal consigo dizer o que sinto.
    Tenho 21 anos, estou no último semestre da faculdade de administração, consegui um ótimo emprego ainda antes de me formar. Ótimo no sentido de que ganho bem e as pessoas são boas. Tive sorte de encontrar uma pessoa boa neste meio, que me ajudou e viu somente coisas boas em mim.
    Porém, estou me sentindo vazia, me sinto sem imagem, desagradável, não consigo mais ver prazer em meu dia a dia, não consigo ter objetivos claros e nem sonhos pro futuro. Minha capacidade cognitiva, raciocínio parecem não existir. Não consigo ter opiniões, convicção, fé .. são coisas que me faltam.
    Não admiro mais ninguém, não consigo mais confiar em ninguém. Me comporto bem quando estou ao redor das pessoas, afinal não quero fazer mal a eles. Mas me sinto um nada, sem afeto, sinto que o bem também não sou capaz de fazer. Não consigo me importar. Não sei mais o que é força. Não consigo agir. Sou um poço de melancolia e não consigo ver o contrário. Está difícil acreditar em minha mudança, eu sei que tenho que viver cada dia de uma vez, mas é torturante ver o que estou me tornando e como sou inútil. Não deixo de existir pois não quero causar dor à minha família. Enfim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. não sou psicólogo, este não é um espaço terapêutico convencional, mas pela minha experiência penso que você, não importa como, me parece afetada gravemente pela depressão, que não é tristeza transitória, mas um complexo feixe de sensações e sentimentos que nos faz sentir exatamente assim: sem prazer de viver, sem ânimo, sem ver sentido em coisa alguma. traduzindo: nos sentimos paralisados e sem vontade de prosseguir, apesar dos sinais exteriores nos indicar que não haveria, em tese, motivos para tanto...

      quando a depressão se instala (e por vezes ela o faz sem que percebamos claramente sua presença) torna-se necessário mais do que "boa vontade", "perseverança", "ânimo" ou até mesmo "fé".

      estamos doentes para valer e não há outro meio a não ser buscarmos ajuda especializada.

      guardar isso com você não te fará nenhum bem. compartilhe isso AO VIVO com alguma pessoa que possa te ACOLHER e ORIENTAR.

      você não quer a morte, nem morrer, mas sente um grande vazio, o que pode acabar te induzindo a desejar não mais existir...

      o trágico é que tudo isso são SINTOMAS de um mal que se tornou físico e que, por isso mesmo, exige medicação apropriada, para fazer os neurotransmissores voltarem a funcionar a contento.

      enfim, não há razão para você se sentir "culpada" pela situação. agora é hora simplesmente de BUSCAR meios de cura. um MÉDICO, preferencialmente.

      tome a decisão certa: BUSQUE AJUDA ESPECIALIZADA e em breve você estará bem melhor e a salvo de tomar qualquer decisão precipitada ou irreversível.

      fica em paz.

      qualquer coisa me escreva (abelsidney@gmail.com).

      Abel Sidney

      Excluir
  43. Sou triste, nao vejo graca em nada, nao tenho religiao, nao acredito nas pessoas, nao acredito em nada mais. Quero ajuda, mas nao tenho coragem de pedir. Jah fui algumas vezes ao medico, nao vi muita ajuda, minto pra mim mesmo que sou feliz pra ver se melhora. Meu teclado esta desconfigurado, desculpe me pela pontuacao.

    ResponderExcluir
  44. Como temos comentado em outras respostas, tristeza não é depressão! E você, pelo visto, não está triste, mas depremido. Depressão não é falta de caráter, de fé... É simplesmente uma DOENÇA JÁ INSTALADA e nos consumindo por dentro. O medicamento, a terapia psicológica e outros recursos conseguem ARRANCÁ-LA lá de dentro de nós...

    Estamos aqui. Ser continuar a conversa via e-mail, não se acanhe! abelsidney@gmail.com

    Siga firme aí e não tome nenhuma decisão precipitada e/ou irreversível. Vale a pena insistir, para vencer:)

    Abraços,
    Abel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, pessoas boas como voce me fazem bem.

      Excluir
    2. desculpe não ter respondido antes. deu uma pane geral na internet aqui em Rondônia!

      Muito grato pela sua resposta, um verdadeiro presente de Natal:) Boas Festas, aproveitando, para você e todos os seus! Siga em paz.

      Excluir
  45. Ola...sabe aquele sentimento de angustia de cansaco,de fraqueza,parece que o coracao vai rebentar...sentir que ninguem nos ama,sentir que somos um problema na vida das pessoas...minha vida ta um caos eu so penso em morrer,peco a Deus pra me levar pra nao sofrer mais,porque eu acho que faco demais pelas pessoas acho que nao as devia amar tanto entao fico com raiva de mim mesma,com vontade de morrer mas por outro lado eu nao quero porque tenho meu filho com 5 aninhos e o amo demais e quero ve lo crescer,mas tambem penso que se eu desaparecesse a vida dele seria mais tranquila...meu namorado diz que sou parva quando falo que vou acabar com a minha vida,mas ele nao sabe da dor que carrego,nao sabe das angustias,do sofrimento que tenho dentro de mim...e agora eu tambem tou achar que tou a ficar louca,mas continuo com vontade de desaparecer...eu nao sei mais que fazer porque durante o dia eu ando bem e chegando a noite,vem a solidao e eu so penso em tristezas,e choro incontrolavelmente ate chegar a pensar em suicido porque me sinto a mais na vida das pessoas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezada anônima!

      Imagino o tamanho das suas angústias e sei que elas são reais. Mas sei também que tudo poder ser superado, que o alívio para as nossas inquietações pode ser alcançado.

      Não desista! Se quiser conversar mais, estou à sua disposição. Escreva para mim. Meu e-mail é abelsidney@gmail.com. Acredito na terapia da gentileza, da generosidade, da solidariedade. Estou aqui, disposto a partilhar dos seus desassossegos, se você se dispuser a conversar.

      Até já,
      Abel

      Excluir
  46. Ola..
    Sabe aquele momento de angustia,de dor,tristeza profunda...que a gente chora e chora e nao tem como parar?as vezes sinto me perdida,a minha vida ta um caos em todos os sentidos,e me faz sentir que sou um problema na vida das pessoas,que ninguem me ama, que eu amo demais as pessoas e fico com raiva de mim mesma por ter um coracao tao mole,as pessoas desprezam me a unica forca que me mantem de pe é meu filho com 5 aninhos,mas ate nele eu acho que tou a mais na vida dele,e cada dia que paxa mais vontade tenho de desaparecer,morrer...ultimamento so penso nisto e se cheguei ate este site foi porque procurava o como me suicidar rapidamente e silenciosamente,mas sabe eu durante o dia ando bem a noite na solidao a trizteza enche o meu coracao e eu choro porque nao tou a ser capaz d resolver minha vida...por um lado eu quero morrer por outro nao,porque amo meu filho,mas tb estou cansada de sofrer e chorar apenas tenho 24 anos,e perdi muito da minha adolescencia,sofri durante 6 anos com o meu ex companheiro e desde a 2 anos pra ca que me separei nao consigo confiar em ninguem..a minha auto estima anda muito em baixo,e o fato e que mexe mto com o meu actual relacionamento,toda a minha vida esta num caos,e eu estou cada vez pior...ultimamente so penso em suicidio sera que estou a ficar louca?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi,

      Ouso dizer que grande parte dos seus tormentos hoje é reflexo da depressão, que já é o retrato do colapso das forças, diante das dificuldades, das dores, das lutas. Daí, então, que você deverá buscar um tratamento psicoterápico, preferencialmente psiquiátrico, para repor elementos importantes para o reajuse da maquinaria cerebral...

      Busque auxílio enquanto você ainda tem controle sobre os seus atos.

      Você não está ficando louca,mas a depressão costuma inspirar a ideia de que nada faz sentido; que ninguém nos ama; que não temos mais forças para suportar a jornada, etc. etc. Estamos simplesmente doentes e começando a ficar "fora de nós".

      Pense no seu filho e no que você pode ainda vir a realizar na vida em algum outro lugara, em outra situação.

      Vale a pena ainda e sempre sonhar, ousar ver-se em outra sintonia, em outro estado de ânimo.

      Enfim, cuide-se, salve a própria pele. O suicídio é sempre um trauma, uma violência para os sobreviventes. Não deixe isso como legado para o seu filho. Resista, lute, pois você pode superar tudo isso. Há meios.

      Vamos conversando aqui ou por e-mail, como você desejar.

      Até,
      Abel

      Excluir
  47. Ola Abel!

    Parabéns pelo o blog e por ajudar as pessoas. Eu tenho muita vontade de viver e tenho e uma vida boa mais sempre quando estou sozinha penso em suicidio. E o mais estranho é que eu não quero morrer! Me ajude!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, menina! Ideações suicidas não se sustentam apenas por se estar a sós. O seu caso exigiria um tratamento terapêutico, pois pode haver algum trauma vinculado ao abandono... E, pelo visto, tudo está imerso no inconsciente. Se quiser conversar mais, esteja à vontade (abelsidney@gmail.com). É bom você se cuidar, para não deixar que nada ruim aconteça! Felizmente, você já pediu ajuda:)

      Excluir
  48. Oii, vou conta mais ou menos a minha situação,
    Minha família era muito feliz no interior ate muda pra cidade grande, quando eu tinha 14 anos meus pais se divorciaram,meu mundo caiu, durante dois anos era briga todos os dias,
    pensava em me matar o dia inteiro de varias formas possíveis, comecei então a me corta, a sensação era confortante. Hoje não me corto mais, porque as pessoas ficava me perguntando e isso me irritava, usava maquiagem no braço mais não adiantava muito. Já falei tanto pro meu pai quanto pra minha mãe que tenho pensamentos suicidas todo santo dia, eles só falam pra eu para de bobeira, ganhei ate um cachorro pra me faze companhia rs .Isso e tão desgastante.
    Hoje to com 19 anos faço faculdade, minha vida vai ate bem, mais não tem um dia que eu não penso em me mata, principalmente quando as coisas não vai como eu quero, e frustrante.
    Bom e só isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, moça anônima!

      Acredito que muita coisa boa se perdeu como a mudança de vocês para a cidade grande. O divórcio só veio complicar a situação e significou mais uma perda. Enfim, você vivenciou dois lutos!

      Agora, que você já tem noção do que está ocorrendo é hora de BUSCAR AJUDA! Procure um tratamento - psiquiátrico e psicológico, pois isso te ajudará a enfrentar com mais tranquilidade estas perdas e tudo o que decorreu destas situações traumáticas.

      Se quiser conversar, anote aí o meu e-mail (abelsidney@gmail.com).

      Espero poder ajudá-la ainda mais!!

      Siga firme e muita paz. Estamos aqui!
      Abel

      Excluir
  49. Juro, que não sei o que está acontecendo comigo... todos os dias penso em me matar, só não tinha feito isso até hj pq eu sempre achei q fazendo isso eu iria para o inferno. Peço todos os dias que Deus tire a minha vida... Só não entendi pq até hj Ele ainda não me ouviu, não existe algo que eu deseje mais do que isso nesse momento... Porém hj eu procurei saber direito sobre suicídio, e se realmente, quem se mata vai para o inferno , e pelo que eu entendi vc pode ir ou não, tudo dependeria da sua fé em Deus. Hoje mais do que ontem eu penso em me matar...
    Nada da minha vida tem dado certo, faço 21 anos amanhã, mas não tenho vontade de viver nem até lá... Não sei te dizer por quê. Sou nova, tenho uma vida (questões financeiras, beleza, amizades e família) relativamente boa, mas não consigo ver sentido na minha vida. Só queria acabar com tudo logo... Não julgo quem tem coragem de se matar, pq sei o que é sentir uma vazio tão grande, mas tão grande que parece que mais nada no mundo vai preencher tal vazio... Juro que já não sei o que fazer, no momento só queria que Deus descesse do céu e me desse um parecer de tudo que está acontecendo e uma previsão de quando vou sentir vontade de viver novamente...

    ResponderExcluir
  50. Dandara, grato por sua coragem de compartilhar conosco suas angústias.

    Grande parte dos que visitam este blog querem saber como prevenir o suicídio...

    Muitos, no entanto, estão às voltas com as ideações suicidas - com vontade de morrer (não exatamente de matar-se)...

    Uma das causas de se ter ideias autocidas é a depressão, uma ardilosa "condição" ou "doença" que nos tira até o prazer de viver... A razão é simples: não se chega a ficar deprimido sem um longo percurso de abalos emocionais e psíquicos. Enfim, vamos adoecendo aos poucos, sem nos darmos conta. Depois de instalada a doença, no entanto, somente o tratamento adequado pode nos ajudar a retomar o equilíbrio físico e emocional.

    Peça auxílio, Dandara! Busque ajuda enquanto ainda é tempo de você (re)conquistar sua paz e o significado da vida!

    Qualquer me escreva. Meu e-mail é abelsidney@gmail.com

    Fica em paz e com Deus.
    Abel

    ResponderExcluir
  51. A não sei oque ocorre comigo mas volta e meia isso vem a minha cabeça, coisa sem nexo mas sempre presente quando alguma decepção maior ocorre, no momento passei por uma grande humilhação e isso já faz uns 6 meses e não consigo esquecer ( namorada ), O horrível é que sempre tenho tempos de esquecimento mas sempre volta muito forte e a vontade de me matar e livrar disso é grande. Não entendo to bem financeiramente, lutando pela vida acabei de conseguir o emprego que sempre sonhei e ainda assim estou aqui lendo sobre isso e escrevendo sobre o mesmo . Sera que sou louco ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu caro "Anônimo", você não está louco. Tudo isso tem nome e cura.

      Sem querer parecer professor, terei que explicar algumas coisas.

      Você passou por um trauma após uma PERDA em relação à namorada (a decepção e/ou o abandono). A |perda| traz o LUTO.

      No processo do |luto| é comum se ter IDEAÇÕES SUICIDAS. Não que a pessoa deseje se matar deliberadamente, mas inconscientemente se busca fugir da situação dramática e a morte é vista como possível "solução"...

      Como acabei de ler: "A instabilidade emocional aguda provocada por certas perdas com significado pessoal muito profundo pode induzir uma sensação depressiva de completo desapego pela vida."

      Onde está a CURA?! No desfecho do processo do luto.

      Você terá que reconhecer a perda (a decepção, a frustração, o abandono, o rompimento, a humilhação) e ACEITAR (virar a página, sepultar de vez o "cadáver", sacudir a poeira e dar a volta por cima, etc.)

      Felizmente você já está no quarto estágio do luto:

      1) negação; 2) revolta; 3) negociação; 4) depressão e 5) aceitação.

      http://renatolalonge.wordpress.com/2011/11/18/os-5-estagios-do-luto/

      Pense na possibilidade de buscar ajuda de um profissional da saúde, se os sintomas continuarem persistindo. Valerá a pena, pois é a sua vida e seu bem-estar que estão em jogo!

      Se quiser continuar a conversa, me escreva: abelsidney@gmail.com

      Grande abraço! Siga adiante e muita paz.

      Excluir
  52. Oi. Tenho 46 anos e ultimamente só me sinto cansado..... muito cansado. Um vontade de ficar sozinho e dormir, sem ter mais que acordar. Tenho uma empresa e as coisas estão difícieis. Trabalho de segunda a sábado, das seis da amanhã até a madrugada. Acho que só não desisiti ainda pelas pessoas que dependendem de mim, que confiam em mim e para as quais, a minha desistência só iria trazer tristeza e dor mas sinto que estou chegando em um ponto onde talvez não tenha mais retorno. Aos domingos não tenho vontade de fazer nada e quando vai anoitencendo vem o desespero de mais uma semana que irá começar. Tomo alguns remédios para ansiedade e para dormir e a tentação de todos ao mesmo tempo é muito grande mas quando isso acontece tento respirar, rezar. Não sou uma pessoa muito crente mas tento me agarrar a pouca fé que tenho para superar estes momentos. Nem sei porque estou escrevendo isso. Talvez para ter com quem desabafar um pouco. Obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi!

      Tenho conversado com muitas pessoas com este quadro de cansaço crônico somado à tristeza. Não sou habilitado a fazer diagnóstico, mas a impressão é que uma depressão começa a se instalar... Aliás, a depressão, em razão das muitas lutas que vamos travando, começa a minar nossas forças e pode até nos derrubar...

      Você já a está enfrentando - graças ao seu senso de responsabilidade, à fé, à resistência e aos próprios medicamentos.

      Mas às vezes este "coquetel" não basta. Precisamos de mais âncoras, de mais motivação e, às vezes, de ajuda especializada (terapeutas, profissionais da saúde mental).

      Por termos atravessado uns tantos abismos nos últimos anos podemos dizer que RESISTINDO e prosseguindo firme a gente acaba SUPERANDO as dificuldades, mesmo que estas pareçam não ter fim.

      Enfim, há sempre esperança e horizonte se a gente INSISTE e TEIMA:)

      Se quiser continuar a conversa inbox, me escreva: abelsidney@gmail.com. Tem sempre um espaço aqui no ombro esquerdo para os companheiros de jornada e estrada!!

      Até já. Fica na paz,
      Abel

      Excluir
  53. Eu não consigo ver sentido em minha vida, é sempre a mesma coisa o tempo todo, não acontece nada muito ruim, mas também não acontece nada de bom.... Isso é independente do meu esforço... As vezes que me esforço as coisas dão certo (não muito) e dão errado também, e as vezes em que não me esforço é a mesma coisa... Eu me sinto mera coadjuvante da minha própria vida, eu apenas assisto as coisas acontecerem e minha interferência não muda nada... Eu penso em me matar, e já tentei ingenuamente fazer isso tentando ingerir uma grande quantidade de comprimidos, mas fui interrompida e não cheguei nem perto de morrer... Hoje eu penso nisso de uma maneira bem amadurecida, e ainda não o fiz porque tenho medo do que pode acontecer depois, ninguém sabe o que acontece depois que morremos... Só que tem dias que esse medo se torna irrelevante... Se a minha vida mudasse completamente talvez eu não pensasse mais nisso, mas eu sei que não vai mudar, mesmo que eu mude (e olha que já mudei bastante desde que pensei nisso pela primeira vez), mesmo que as pessoas com quem eu convivo mudem... Há anos espero que pelo menos alguma coisa mude, mas é sempre a mesma coisa, sempre... As vezes eu penso em fugir, me mudar pra qualquer lugar onde ninguém me conheça, mas sei q minha família vai me procurar, hoje em dia é tão fácil encontrar uma pessoa, e isso só vai ser mais um aborrecimento para todos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adriana, eu tenho visto muitas pessoas se recuperarem da "rotina", do "vazio", da "chatice" e de outros tormentos... Muitos, inclusive, que aqui pediram socorro foram auxiliados e hoje estão bem (na luta, às voltas com as dificuldades naturais da vida, mas bem!)

      Então, ouso acreditar que há sempre uma luz no fim do túnel...

      Se quiser conversar inbox me escreva: abelsidney@gmail.com. Se não quiser falar comigo, há outras pessoas solidárias e acolhedoras te aguardando. Nosso ombro é GG e sempre há um cantinho para mais um.

      Até já!

      Excluir
  54. Meu caso ė o seguinte,penso em suicídio o tempo todo,tem 6 anos q minha vida ta parada,sempre fui tímido comecei uma facul e parei no 6periodo por não gosta do curso e por não conseguir mais concentra em nada.meus país são separados minha mae não tem grana vive da pensão do meu pai igual eu.meu pai tem um situacao finaceira ótima por méritos e estudos...eu ao longo da vida peguei um dineheio emprestado q virou uma bola de neve e hj minha dívida e 15mil e não tenho coragem de ir atrás do meu pai pra ele me mostra outro caminho abrir alguma porta pra mim,meus pensamentos negativos ou medo não deixam.e já não aguento mais essa situação,nome sujo na praça sujei da minha mae e unics pessoa q poderia me salva seria meu pai,que ate amanha tenho q criar coragem i ir atrás dele pra cv sobre isso,já vou fazer 34 anos e to literalmente na merda não tenho nada único da turma q e fracsssado ,e pior já ta decidido q vou partir,tenho medo por impulso fazer uma bobagem mais sei q deveria conversa com meu pai primeiro,pq os agiotas estão na cola e deram prazo só ate terça feira agora não sei oq fazer,meu medo não deixa eu procura meu pai pq sei q vou escutar NTA coisa,só queria sair da minha cidade e volta a ser feliz mais minha cabeça ta dano no,parabéns pelo blog se acontecer algo comigo quero q saiba q vcs fazem um excelente trabalho obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vinicius, meu caro, sempre há uma saida, por mais dolorosa que possa parecer a princípio, como o auxílio que o seu pai pode te prestar e você, com medo, não quer pedir... enfrente o velho! quem sabe ele não espera o seu contato, mesmo que a tua situação esteja meio fora dos trilhos? já que você está disposto a um TUDO ou NADA é melhor ARRISCAR o contato com o teu pai, mesmo com o risco de ouvir alguns "conselhos" nada agradáveis.

      Se quiser que eu retire esta postagem me envie um e-mail (abelsidney@gmail.com). Identificar-se pode te trazer algum embaraço mais tarde (estou acreditando que você VENCERÁ A PARADA! superará a dificuldade atual!!)

      estamos aqui, com os ombros largos e acolhedores de amigo/irmão!!

      SIGA FIRME AÍ!

      Excluir
  55. Meu dia tem sido muito estranho hj, há algum tempo mantenho guardadas em mim dores que só eu sei, há quase 3 anos perdi minha mãe, ela era meu tudo, no mesmo ano que perdi minha mãe eu tb passei por um rompimento de um relacionamento de 11 anos. Mas eu criei o personagem da mulher feliz e bem resolvida, mas só eu sei as dores que me assolam, o desejo de morte é uma constante em minha vida, e hj ele está muito forte, preciso de ajuda,recorri ao google pra ver se lia algo sei lá, deparei com esse site, ah...não sei nem o que escrever, estou tão perdida...tenho vergonha de estar assim...tenho vergonha de assumir que sou triste...

    ResponderExcluir
  56. Cara anônima, sei o que é a "ditadura do bem-estar", de ser alguém que "tem tudo para ser feliz" e, que por isso, não pode estar triste ou demonstrar isso...

    As pessoas não sabem lidar com as dores alheias.

    Mas as dores existem. E temos que ser respeitados em nossas dores, lutos, tristezas...

    Mesmo que tudo isso saia dos limites e se torne um transtorno - a depressão, entre outros - precisamos ser acolhidos, compreendidos, no mínimo.

    Enfim, estamos aqui, com os ombros largos para te acolher. Aqui neste espaço de desabafo ninguém julga ninguém e todos sabem o que é a "dor", a "tristeza", o "vazio". Muitos resolvem lutar para seguir adiante (sinto que é o seu caso). Conte com a gente!

    Se quiser conversar de modo privado envie e-mail para abelsidney@gmail.com. Mas podemos continuar conversando por aqui mesmo!

    Até já!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vim aqui por que to pensando em terminar a loucura que fiz em minha vida.... A um mês(quase dois) revelei a minha mãe que sou gay...bPrimeiro ela conversou comigo... e dia apos dia ela vem ficando mais agressiva... ela acaba de sair do meu quarto... e penso em sair de madrugada pra terminar isso... mas se eu me matar... do que adianta... eu não vou poder viver o que tanto desejo... já pensei em como fazer e tudo... só o que tenho na cabeça agora é:"Vale a pena"? Eu só quero ter o direito de amar quem quiser... o que é tão difícil pra ela?... ela simplesmente não tem nada a ver com isso... mas eu simplesmente não quero morrer... mas sou impotente frente a ela... não vejo outra solução...

      Excluir
  57. Meu caro, respira fundo e me ouça!

    Primeiramente, nossa VIDA É MAIOR do que a INDIFERENÇA, a INSENSIBILIDADE e a INCOMPREENSÃO alheia, venha de algum familiar (como a sua mãe) ou de quem quer que seja.

    A rejeição de um ente querido é como uma punhalada, bem sei. Mas quem disse que precisamos SOFRER POR ISSO?

    Prepara-se para SALVAR A PELE, bem longe daqueles que AINDA não conseguem te compreender e aceitar.

    É possível RECOMEÇAR a vida em outros lugares, junto de outras pessoas.

    Se quiser conversar mais sobre tudo isso, fique à vontade (abelsidney@gmail.com).

    Estamos aqui!
    Fica em paz e com Deus.
    Abel

    ResponderExcluir
  58. Estava e estou hoje o dia todo aqui sentado em frente ao meu computador fazendo um trabalho da faculdade... Coisa que é mais comum em minha 'vida' do que tomar um copo d'água. Há anos isso que chamam de 'vida' tem essa rotina. Ficar trancafiado em casa, sem ter pra onde ir ou com quem conversar. Sou uma pessoa horrível. Não tenho fé alguma e não consigo entender como as pessoas conseguem acreditar num ser que nunca viram, mas isso é outro assunto. Voltando ao comentário inicial... Uma tristeza tem me abatido frequentemente. Estudo e dinheiro por uma vida melhor eram minhas metas, mas hoje não sei se as tenho mais. Pouco me importa isso. Não consigo juntar dinheiro. Vivo num lugar que odeio junto com essa 'vida' maldita. Peço que se alguém perder o tempo pra ler isso e queira comentar nem pense em citar o nome desse maldito santo de igreja e de um livro fictício chamado bíblia que já perder minha atenção. Quantos vezes pensei em me matar mas a maldita coragem que não vem... Quer saber... não sei porque estou perdendo tempo escrevendo toda essa balela. Ninguém importa, nem eu mesmo...

    ResponderExcluir
  59. Prezado anônimo, a rotina é uma pedreira! Viver sem uma boa rede de relacionamento, mesmo que para "fins utilitários", é outra dificuldade extra. Sentir tristeza de modo contínuo, no entanto, é MAIS GRAVE por denotar algo sério, talvez um processo depressivo em curso...

    As sinapses cerebrais precisam, como você bem sabe, de neurotransmissores específicos para nos transmitir sensações de bem-estar. A sua rotina e outros desconfortos e amolações parecem ter consumido estes neurotransmissores. Por vezes, é necessário medicamento para recompô-los.

    Você precisa, urgente, fazer algumas alterações de percurso!! Mudar a rotina, buscar algum sentido interessante para a vida (acreditar em si mesmo já é suficiente:) e espantar a tristeza!

    Morrer não resolve e pode complicar a vida dos que ficam... Pode ser chato ouvir isso, mas é verdade - ser um sobrevivente de suicídio é traumático. A gente tem sempre mais pessoas que gostam de nós do que gostamos de admitir.

    Enfim, siga adiante. Ouse, busque outros horizontes. Quando não se tem muita coisa a perder deve ser mais emocionante ainda!!

    Um dos que passaram por aqui (por este blog e postagem) topou esta parada e hoje vive com muita serenidade os seus últimos dias na Terra (tem uma doença terminal, mas a tem solene e corajosamente ignorado!)

    É isso! Se quiser continuar a conversa de modo privativo o meu e-mail é abelsidney@gmail.com. Até já, se você quiser:)

    ResponderExcluir
  60. Engraçado. Acredito que vai ser a primeira vez que falo isso com alguém (ou melhor, escrevo). Mas penso em suicídio (Ufa! Deu um certo alívio, essa coisa de anonimato é ótima!) Estranho, pois tenho muito medo de morrer. Mas seria o fato de eu pensar um sinal de alerta? Tenho medo dessa minha vontade ir aumentando e um dia, sei lá. Eu quero e NÃO quero morrer e sei que meus pais e minhas irmãs iriam sofrer muito. Mas e esse sofrimento que eu passo diariamente? Não é justo comigo também oras. Só quero ser feliz, e não sou. Tenho 28 anos, formada em enfermagem mas descobri que não é a profissão certa. Sou lésbica, solteira, tenho uma porcaria de um emprego que me paga um salário mínimo. Sonho em ser fotógrafa, mas com o que ganho não existe a mínima possibilidade de fazer o curso que quero. Sem falar que estou velha e é o tipo da profissão que ninguém da minha família leva a sério. Me falta vontade de correr atrás também eu sei. Mas ultimamente não tenho vontade de correr atrás de nada. Tudo que eu começo eu não termino, e só tomo decisões erradas. E pra piorar tenho essa tristeza dentro de mim, que não vai embora nunca. Resumo da minha vida: fracassada profissionalmente e no terreno afetivo, pobre e triste. Chega a ser engraçado haha. Obrigada por este blog e a oportunidade de desabafo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não há o que agradecer, cara anônima!

      Aqui é mesmo o lugar para as confissões, os desabafos, as catarses. É também o "ponto zero" de recomeço de muitos que desejam vencer a tristeza e outras dificuldades.

      Estou à sua disposição para continuarmos a conversa (aliás, você escreve muito bem, muito acima da média:) Meu e-mail é: abelsidney@gmail.com.

      Abraços e até já!

      Excluir
  61. Tenho 29 anos, vivia em um conto na minha cabeca..ate que desperto, e me assuato com o que sou....nao tenho nada, ..meus pais me ajudam e ico sempre procurando ser alguem melhor..procurando um jeito de despertar a forca que tenho..ontem, senti fraqueza...nao quero imaginar as pessoas me achando estranho...eu sou normal...nao sei o que acontece que nao firmo uma ideia..

    ResponderExcluir
  62. Gean, creio que você esteja um tanto confuso por conta de algum acontecimento mais grave. Mas não se abale ou tome qualquer decisão precipitada! Se quiser continuar a conversa, de modo privativo, estamos à sua disposição (abelsidney@gmail.com).

    Fica em paz!

    ResponderExcluir
  63. Wandy...Sei que para a maioria é tolice mas já estou literalmente com uma corda no pescoço devido a uma dívida de R$3.800,00 e já procurei de todas as formas possíveis para minha limitada e cotidiana aos conhecidos e não consegui nada...Não vejo outra alternativa...Preciso me enforcar antes que disparem balas de fogo em mim. É isso....

    ResponderExcluir
  64. Wandy, se você puder nos contactar podemos buscar saídas juntos!

    Se o suicídio é uma fuga, fuga por fuga há outras possibilidades de se fazer isso. Uma delas é "anoitecer e não amanhecer"... Fugir em busca de outros horizontes (podendo-se voltar e quitar a dívida um dia) é mais honroso do que se matar!

    Estamos aqui! Meu e-mail: abelsidney@gmail.com.

    Dentro das possibilidades, mantenha a serenidade e nos contacte!
    Abel

    ResponderExcluir
  65. "Se o suicídio é uma fuga, fuga por fuga há outras possibilidades de se fazer isso. Uma delas é "anoitecer e não amanhecer"... Fugir em busca de outros horizontes (podendo-se voltar e quitar a dívida um dia) é mais honroso do que se matar!" Em 8 anos lutando contra essa "coisa", essa foi a orientação mais *dástica que já vi!!! E não é que tem lógica? Obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. pois é Débora, moro num estado amazônico e sei de muitas histórias de brasileiros que fugiram para a Bolívia para recomeçarem suas vidas... "anoiteceram e não amanheceram". hoje, muitos por lá são cidadãos respeitáveis. se ficassem teriam sido assassinados ou se tornariam pessoas muito piores (ao permanecer nas prisões que deseducam). sinceramente, acho que VALE TUDO para nos refazermos, recomeçarmos.

      Excluir
  66. Como na maioria dos comentários, cheguei até aqui por sentir essa vontade de não mais viver. Há alguns dias comecei a me cortar, mas não tive coragem de continuar. Tenho 22 anos e a impressão que eu tenho é que problemas comuns pelas quais qualquer pessoa passa sem grandes sofrimentos me fazem sentir dores imensas e insuportáveis. Choro desesperadamente. Minha vida não faz sentido algum, sempre que eu devia estar bem faço algo que destrói as minhas próprias possibilidades de me sentir feliz. Me sinto inferior, não gosto de mim, as vezes tenho a sensação de que todos estão debochando de mim. Estou passando pelo término um relacionamento de 2 anos, eu errei muito com ele e quando tentei me organizar pra fazer as coisas direito ele já tinha se tornado outra pessoa comigo. Eu me desespero, não tenho amigos, passo a maior parte do tempo sozinha, não consigo ter vontade de fazer nada, queria dormir e não mais acordar. Eu sinto um desespero muito grande, uma angústia muito forte, penso em morrer a maior parte dos meus dias. Eu não sei o que fazer, parece que eu não quero fazer nada. Não sinto força pra tentar nada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nayara, se você quiser continuar a conversa de modo reservado me envie uma mensagem para abelsidney@gmail.com. Aguardarei você! Muita paz.

      Excluir
  67. Boa noite, meu nome é Ana. Cheguei a este espaço pq digitei no Google alguma solução para essa dor tão grande que sinto.
    Minha vida, aos olhos da lucidez, é maravilhosa. Tenho uma família incrível, um namorado maravilhoso, trabalho e tenho saúde.
    Aí que está o problema...uns três meses atrás fiquei comovida com a história de uma garota que descobriu um cancer, ela é mais nova que eu e mora na minha cidade. Esse sentimento foi mudando a cada pessoa que eu conhecia e falava sobre o assunto perto de mim. Aquilo foi me deixando desgastada, assustada e evitando esses assuntos, fugindo cada vez que falavam algo sobre.
    Um dia percebi algo na minha garganta e paralisei. Sabe que havia algo errado. Dias depois sentia pontadas nos seios e fui correndo fazer um ultrasom das mamas e estava tudo bem.
    O incomodo na garganta nao passou. Meu siso inflamou. Me auto examinava diariamente, apertando o pescoço, buscando algo que me evidencia-se uma doença grave. Fui ao otorrino e ele me examinou, disse que eu estava com sunisite e iniciei o tratamento. No mesmo dia passei a pensar q ele pudesse estar errado e que eu estava sim com algo grave. Algum tempo depois passei a nao comer, nao participar de eventos com a familia e amigos, so pensava em ficar deitada imaginando o que faria se estivesse com alguma doença grave, o que minha família iria passar, cheguei ate a pensar que a doença não permitiria eu ficar ao lado do meu cachorro que tanto amo.
    Tive uma crise de pânico em um sábado a noite. Tenho 24 anos, sempre saí muito e nesse sábado eu estava de pijama as 19:00 querendo deitar e lá ficar até que minha mãe veio conversar comigo. Eu desabei e sentia muita falta de ar e dizia que ia morrer, que eu tinha certeza disso, meu coração batia muito forte, um medo gigante tomou conta da minha cabeça. Meu pai me levou ao pronto socorro e novamente o plantonista disse que estava tudo bem, mas novamente saí de lá convencida de que ele não tinha me examinado direito.
    Dois dias depois fui em outra otorrino e ela me examinou de novo e disse que eu estava bem. Mais uma vez eu saí de lá tranquila e depois de 10 minutos já estava eu procurando novamente sintomas e mais sintomas. Fiz um exame de sangue e ontem fui parar no pronto socorro de novo com fraqueza e tremedeira pq parei de comer drasticamente devido a ansiedade. Levei meu exame de sangue que estava com uma leve alteração e o medico me disse que estava tudo bem, que aquilo era normal e meu pai, que ja não aguenta mais, explicou que eu tenho certeza que tenho alguma doença grave. Esse médico me disse que o melhor tratamento seria um psicologo e um psiquiatra pq o meu quadro é de doença psicologica. Cheguei em casa pior, meu cansaço era enorme mas eu só sabia procurar sintomas de doenças graves e perceber que tinha todos aqueles sintomas e me conformar, deitei as 21:00 e me lembro de ter olhado no relógio um pouco antes de adormecer a 1:30 da manhã. Ao pensar em algo legal, logo me vinha a minha imagem doente e minha familia sofrendo e eu me aprofundava mais e mais nas minhas pesquisas no google.
    Hoje fui ao ginecologista, o meu médico de confiança, levei meu exame de sangue e ele repetiu as palavras de todos os outros médicos, que meu problema é psicologico.
    Agora escrevo para vocês pq precisava botar em palavras tudo aquilo que meu coração sente, toda essa inquietação de 24 horas por dia pensando que eu tenho algo grave, desconfiando dos medicos e compulsivamente querendo fazer exames e mais exames.
    Não vejo solução, essa voz na minha cabeça me diz que algo de ruim está para acontecer, a certeza é maior que tudo. As vezes eu penso que a única solução para todas essas angustias seria a morte, não aguento mais pensar em tristeza e no sofrimento.
    Eu me alonguei demais, mas me fez um pouco melhor colocar nas palavras aquilo que na cabeça parece tão confuso.
    Espero que todos que aqui passarem respirem fundo e por mais que seja dificil, nós venceremos e conseguiremos nos curar desses monstros que vivem em nossas mentes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. gratíssimo, Ana, por seu depoimento, que certamente auxiliará muitas outras pessoas que estão atravessando as dificuldades em torno da 'síndrome do pânico' ou algo semelhante.

      que você tão logo esteja refeita e em paz. fica com Deus!!

      Excluir
  68. eu penso em me matar algumas vezes,varias vezes acho q desde os 9 anos;to com 18 e todos os dias penso como o mundo seria melhor sem mim sou alegre divertido popular,mas é so uma mascara pra parecer normal e q algumas vezes me da alguns surtos de tristeza como hoje,fui a uma festinha de amigos por causa do halloween me diverti muito mas de uma hora para outra do nada me bateu a tristeza, nao demonstrei nada me despedi fui pra casa ,e agora to falando com vcs eu sou e me sinto inutil muito inutil , como se eu falhasse com amigos,familia,acho q eu so preciso de alguém para desabafar .alguem mais lelé do que eu pra conversar amar acho q eu to carente e solitario pareço uma menininha ,eu acho q tenho q arrumar algum proposito na vida,mas mesmo assim se eu me matar alguns vao chorar mas depois de um tempo vao so lembrar vagamente até cair no esquecimento.a vida continua,todos morrem um dia me ajudem.

    ResponderExcluir
  69. Oi, "menino"!!

    Obrigado pela coragem de se expor, de falar sobre você tão abertamente.

    Estamos aqui para te ouvir mais. Escreva e descreva esta estranha invasão de pensamentos de tristeza (eu disse INVASÃO!).

    Como decidir sobre a própria vida a partir de algo que vem de fora, de repente?

    Vamos conversando!

    Abraços e fica com Deus.

    ResponderExcluir
  70. tenho 16 anos ja tentei suicidio duas vzs uma a dois anos o outro a um mes dps q perddi meu irmao minha vd passoua n ter tanto sentido vi minha amiga ser assassinada e isso me fz me senti muito mal muito msm sou viciada e me auto multilo e prescizo sempre de concelhos e de bons amigos 82 8142-1445 meu zap se quizerem podem entra em contato

    ResponderExcluir
  71. Oi, Menina das Alagoas!

    Estamos aqui para te acolher. Espero que mais pessoas façam contato contigo.

    Você está vivendo dois lutos (a morte do seu irmão e o assassinato de sua amiga!). Estes dois fatos, por si só, abalam qualquer um e podem nos induzir à depressão.

    Esqueça o que passou e dê graça a Deus poder ser uma vencedora, alguém que esteve bem perto do abismo, mas conseguiu recuar em tempo. Isso é também ter coragem. É resistir, apesar da dor.

    Se puder dizer onde você mora facilitará a nossa possibilidade de te ajudar. Você precisa de tratamento para se recuperar mais depressa.

    Te aguardando.
    Abel

    ResponderExcluir
  72. é complicado a situação que li dessas pessoas, gostaria de apenas desabafar pois apesar de ter emprego fixo, pai, mãe, filhos, namorada (sou separado mas estou bem resolvido com isso), sinto um vazio grande, tristeza, como se estivesse faltando algo e alguma coisa que não é desse mundo, pode parecer loucura mas acho que no suicídio devo encontrar, tenho medo de procurar um psicólogo, não sei o que faço.

    ResponderExcluir
  73. Caro companheiro, o que você está sentindo pode ser algum sentimento de culpa - bem escondido, desses que nem nós mesmos conseguimos identificar; pode ser também resultado de uma série de pequenos traumas, que conduzem ao estado de depressão (e a depressão cuida de nos fazer sentir este vazio, esta tristeza, aparentemente sem origem e sentido).

    Enfim, precisas de tratamento psicológico ou psiquiátrico. Basta, às vezes, poucas sessões ou alguns meses de medicação para tudo se ajustar.

    Não tenha medo, enfrente a situação, pois ela é muito mais comum do que você imagina. São males curáveis. Você todo direito de se refazer e prosseguir.

    Se precisar conversar, me acione (abelsidney@gmail.com).

    Abraços,
    Abel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Abel, obrigado pela resposta, foi bom escrever esse assunto que é um tabu muito grande na minha família, não teria coragem pois se fosse comentar em suicídio já saberia até as emoções de todos, de qualquer maneira entrarei em contato com você. Obrigado

      Excluir
    2. Estou na escuta! Será um prazer fazer mais um amigo:)

      Excluir
  74. A morte ou a idéia sobre ela , sempre foram minhas companheiras.Na infancia era comum eu ouvir das pessoas que eu tinha um olhar triste.Na adolescencia sempre procurei chamar a atenção de alguma forma, dando com isso, alguns trabalhos para a minha mãe.E sempre era denominada de chata, egoista e complicada, principalmente pela minha mãe.
    Meus pais se separaram qdo eu tinha 10 anos de idade, com a separação, fomos, eu, meus irmãos e minha mãe morar em Nata/RN( cidade da minha mãe).Como filha mais velha, eu era responsável pela casa e pelos cuidados com os irmãos pq minha mãe trabalhava 03 turnos para nos sustentar. Casei-me tive 03 filhos que considero como único e verdadeiro patrimonio que construi na vida...literalmente. Sempre tive picos de bom e mau humor, ambos alternando entre si com muita frequencia. Sempre fui e sou até hoje uma dona de casa, o que de uma forma me faz sentir muito desvaloriazada por mim mesma. E agora aos 50 anos e com alguns problemas de saúde não vejo como reverter essa situação, e pra ser sincera, não sinto mais vontade disso.Nos ultimos anos, meus netos eram a única motivação que eu tinha para me manter viva, pois como eu disse antes, a vontade de morrer sempre me acompanhou , até chegava a idealizar a minha morte acontecendo em uma dia nublado e com uma leve chuva fina. Hoje, mesmo amando imensamente meus filhos e netos, não me sinto mais necessária e nem útil, pelo contrário, acredito que minha vida aqui poderia se encerrar e dar espaço no universo para outro ser mais útil e digno de estar vivo.
    A 15 dias atrás me submeti a uma cirurgia para a retirada de um aneurisma cerebral. Nos dias que antecedram a cirurgia, eu, em minhas orações pedia muito a Deus que aproveitasse a oportunidade e me levasse daqui, que não me deixasse voltar....eu implorei isso do fundo do meu coração, mas acho que Deus não me ouviu ou não desejou assim.
    Acordei após o efeito da anestesia muito frustrada por ainda estar viva. E de lá para cá, todos os dias planejo uma forma de morrer. Ainda não cheguei as vias de fato pq estou me recuperando da cirurgia na casa da minha mãe, e não deixaria na casa dela essa lembrança traumática do suicídio da própria filha.Devo voltar para minha casa no RS no próximo sábado dia 22/02. E sei que ao chegar lá tenho duas opções: buscar ajuda psquiatrica imediata, ou de uma vez por todas me dar ao direito de escolher por encerrar com esse martírio de uma vez por todas. Já tentei uma vez aos 32 anos, cortei os pulsos, mas não foi profundo o suficiente, dessa vez, não posso errar. Acredito verdadeiramente que não há absurdo algum em vc decidir ou optar por encerrar a sua própria vida, quando ela se torna um fardo insustentável, insuportável de ser levada adiante. A nossa vida inteira é formada por escolhas,então pq essa não?Pq não posso escolher? Pq não posso decidir o que quero ou não quero, se eu, e apenas eu sei o peso que isso representa para mim......Obrigada pelo espaço. Nunca havia falado sobre isso com ninguém, e quando percebi, ja tinha escrito um longo texto. rsrs. Boa noite e obrigada.

    ResponderExcluir
  75. F.Thomas, eu peço que você reconsidere sua decisão. Terás tempo para reavaliar muitas das suas impressões acerca da vida.

    O mais grave do suicídio é a sua irreversibilidade. É conhecido o drama daqueles que após o ato suicida se arrependem e não mais conseguem reaver a vida.

    Outro aspecto a ser considerado é que ninguém se mata sozinho - mata-se também - simbólico e efetivamente - os que lhes estão vinculados por laços de afeto ou familiar. Os do filhos do Ernest Hemingway ed a Sylvia Plath seguiram seus passos. Mata-se também os familiares mais próximos, que se deprimem, se culpam.

    Optar pela vida por ser algo sacrificial, mas pode ser compensador.

    Só não faz sentido viver - caso não estejamos afetados pelo cinza da depressão e, neste caso, enfermos, sem pleno domínio de nós mesmos - se quisermos JOGAR TODAS AS NOSSAS FICHAS na crença no NADA - nada de Deus, de justiça, de providência divina, de continuidade da vida, após a morte...

    Bem, se quiser continuar a conversa, me escreva (abelsidney@gmail.com)

    Fica em paz,
    Abel, o esperançoso


    ResponderExcluir
  76. Obrigada pela atenção, por ter me respondido.

    ResponderExcluir
  77. Eu não consigo parar de pensar em suicídio. Tento fazer outras coisas pra me distrair, mas qualquer momento parado esse pensamento volta. Eu não sei o que fazer, quanto mais eu tento sair dessa, mais difícil fica.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por vezes temos que ser bem persistentes e sagazes para "driblar" estas insistentes ideias.

      Cada um acaba encontrando um meio de se liberar. Alguns cantam mantras, outros oram, unsescrevem, desenham.

      O importante é manter a mente ocupada com coisas prazerosas.

      Quando a "coisa" parece ser maior do que a gente, o jeito é buscar forças, ajuda fora de nós! Partilhe com quem possa te ouvir e entender.

      Não rejeite, também, a possibilidade de estar deprimido (a doença instalada). Isso tem cura! Mas é preciso, por vezes, o apoio dos medicamentos. Minha esposa passou por isso, anos atrás, quando descobriu que era portadora do lúpus (uma doença que não tem cura, só controle). Ela venceu e hoje mantém a síndrome na rédea curta. Conseguiu virar o jogo.

      Enfrente, insista, luta, tente!

      Querendo conversar mais, me escreva (abelsidney@gmail.com).

      Muita paz,
      Abel

      Excluir
  78. Eu não sei se ainda olham esse blog, mas eu estou pensando em cometer suicidio . A dor que eu sinto a tristeza , o sentimento de solidão estão muito grande. Eu não consigo mais comer, trabalhar , dormir ou sequer pensar .Tenho 20 anos e nunca me vi nessa situação. Eu preciso de ajuda queria poder falar isso aos amigos e aos meus pais ( até tentei ) mas eles veem isso apenas como alguem que quer chamar a atenção . EU NÃO AGUENTO MAIS . ISSO DÓI DEMAIS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu caro, li o que você escreveu no seu blog! A perda de alguém que amamos, qualquer que seja a circunstância, é algo MUITO DOLOROSO.

      A gente fica mesmo sem chão; perde-se a vontade de viver; não consegue mais perceber o sentido da existência, enfim, tudo se torna cinzento, monótono e sem razão...

      Você não é a única pessoa que está sentindo isso, embora a sua dor seja SUA e de mais ninguém e por isso dever ser RESPEITADA!

      O que importa é o que fazer com esta dor!!

      Dor não existe para sinalizar o fim, o abismo, o beco sem saída. Dor é, na maioria das vezes, um PODEROSO ALERTA!

      Ouça o alerta! O alerta do apego excessivo e irracional à pessoa que você ama, mas que por alguma razão, decidiu partir.

      Viva, sim, a sua dor, o seu luto, a sua perda. Mas para isso - e para todo o aprendizado - será necessário VIVER e RESISTIR, para CRESCER:)

      Se quiser conversar privativamente, me escreva: abelsidney@gmail.com.

      Um abraço e muitas forças, guri!!
      Abel

      Excluir
  79. Eu já tentei o suicidio algumas vezes, por meio de corte, por remedios , e overdose.
    Há pouco tempo sai de uma clinica de dependentes quimicos e sinceramente não sou dependentes quimico, mas como estava sobre efeito de substancias alcoolicas, minha Mãe me internou e não tive um tratamento para depressão, e a vontade de se matar é constante , eu me isolei do mundo em meu quarto não saiu mais pra nada, pouco me alimento, hoje minha Mãe esta fora do pais, e meu Pai com quem moro ele é alcolatra e não sabe oque estou passando , eu tento falar mais não sou compreendido, mando e-mail para minha Mãe pedindo ajuda , para que arrume um medico pra mim pois não consigo levantar da cama. Mas ela só fala que Deus tem um plano , e eu falo que não aguento mais e ela pediu pra eu deixar-la em paz e parar de tortura-la com esse meu sofrimento..

    Gostaria de saber eu estando assim, oque devo fazer pq estou ao ponto de fazer uma besteira e eu não queria, ma ao mesmo tempo não tenho força , já pedi ajuda e nada estou sozinho mesmo. então nesse caso oque devo fazer

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu caro jovem anônimo!

      Sou muito grato, mesmo, pelo seu contato e por sua decisão, firme, de deixar aqui o seu pedido de socorro!!

      Você jogou a garrafa ao mar e eu tentarei te encontrar para oferecer o auxílio que seja possível. Que sejamos bem-sucedidos:)

      A sua situação exige uma intervenção mais direta dos médicos, dos profissionais da saúde.

      Não tens algum amigo ou conhecido, ou alguém de confiança (próximo à sua família) com quem você possa conversar e pedir ajuda mais diretamente?

      A ideia é você dizer que está muito mal, que não consegue se alimentar, que se encontra muito deprimido e gostaria de receber ajuda médica para se refazer!!

      Dependendo da cidade onde você more, é possível ligar para o pessoal do CVV, no 141. Eles são muito bacanas e te ajudariam a colocar as ideias em ordem:)

      Se quiser escrever para mim, não pense duas vezes: abelsidney@gmail.com. Estarei o dia todo à sua disposição. Hoje é feriado onde moro.

      Até já!
      Abel

      Excluir
    2. Abel muito Obrigado por me ouvir, e sobre pedir ajuda eu não tenho ninguem mais para pedir ajuda, e sabe Abel eu cansei de pedir ajuda de me humilhar e não ser ouvido, falam que isso que estou passando é uma escolha da minha parte, na verdade eu não sei, mas sei que não queria estar assim, gostaria de estar bem e vivendo como todo mundo.
      O pensamento de morrer é constante e ontem decidi que esse processo deve fazer o seu curso.Eu nem sei pq ainda vivo, eu fiz coisas erradas no desespero , tive perdas que me feriram demais e sinto muita falta, e hoje me culpo muito e mereço estar assim.

      Mas eu agradeço do fundo do meu ser a vc e sua dedicação as pessoas que procuram ajuda, eu vi que respondeu a todos com Amor e decicação, o mundo hoje não esta pior por existir pessoas como vc de excelente coração.

      Excluir
    3. Espero que você encontre motivos para viver, para seguir adiante.

      Confesso que o seu abandono me tocou muito! Tenho um filho que é especial e minha esposa se preocupa muito com o futuro dele - tem pavor de morrer e ter que deixá-lo.

      Enfim, te imaginei como um filho, que estivesse passando por maus bocados, longe da família...

      Torço por uma reviravolta na sua história de vida - que você decida romper com esta situação; que você decida viajar pelo mundo; que busque encontrar, em algum lugar, um sentido para viver...

      Estamos aqui. Se quiser conversar, estarei na escuta e, agora, mais ansioso ainda para saber de você, que se tornou um "meio-filho":)

      Até,
      Abel

      Excluir
    4. Obrigado Abel pelo conforto que me proporcionou me tratando com muito carinho e sensibilidade sobre oque estou passando, eu espero sim encontrar um sentido para continuar a viver, e vc será comunicado assim que isso acontecer.
      Obrigado do fundo do meu ser, obrigado pelo carinho como me trata, torço que seu Filho tenha o melhor futuro e com os Pais tão maravilhosos que ele tem com certeza ele terá, e já é feliz ao lado de vcs.

      Meu nome é Eduardo.

      Abraço Abel e muito Obrigado mesmo, vc me ajudou de verdade

      Excluir
    5. Eduardo, aguardarei notícias suas.

      Estou aqui na retaguarda. Empreenda a sua jornada e confie!

      Muita paz e serenidade.

      Grato também pelas tuas palavras (tenho me esforçado para ser um bom pai:)

      Até já, meu caro.

      Abraços,
      Abel

      Excluir
  80. Pessoal, tenho passado por uma série de prolemas e já não sei mais oque fazer.. A mais ou menos dois anos descobri que sou soro positivo, não tenho muitos amigos e acho que isso é um pouco minha culpa, pois tenho me isolado. Algumas pessoas para quem contei na hora me apoiaram mas acabaram se afastando depois. Recentemente também, com a crise em que o Brasil está, a empresa onde trabalhava começou a demitir e todos os funcionários estão saindo sem receber rescisão ou qualquer um de seus direitos. Estou ficando sem dinheiro, e desesperado, pago aluguel e já não sei mais o que fazer, qualquer dia posso ser despejado. Mando curriculum todos os dias para diversas vagas mas nenhuma ligação eu recebo. Sei que tenho potencial, que sou inteligente e dedicado, mas parece que todas as portas estão se fechando para mim... Eu só consigo pensar que minha única solução é o suicídio.

    ResponderExcluir
  81. Prezado Anônimo, a luta faz parte da vida de cada um de nós.

    Muitos que aqui deixaram os seus recados passaram por situações semelhantes e conseguiram seguir adiante.
    O motivo: resistência, teimosia e, alguns deles, um pouco de risco!

    O risco positivo: vá que dá certo!!

    "O que eu tenho a perder insistindo, teimando?!", eles se perguntaram.

    A sua situação, vista por este ângulo, é das mais excitantes: TUDO A GANHAR, se arriscar! Arriscar a mudar de cidade, de emprego, de grupo de relacionamento... De ponto de vista, de perspectiva, de paradigma.

    Enfim, vire o jogo a seu favor. Arrisque a fazer, positivamente, tudo o que você não teve oportunidade de realizar.

    Estamos aqui!!

    Se quiser conversar privadamente, o meu e-mail é este: abelsidney@gmail.com

    Ah, ser soropositivo deixou de ser assombração há muito tempo. Desemprego, a depender do que façamos, tem solução.

    Então, à luta:)

    Abraços,
    Abel

    ResponderExcluir
  82. Meu caro, deixarei aqui algumas palavras que, de tão dolorosas, se confundem com os próprios sentimentos. A incerteza de tudo o que há me aflige. Não consigo sobreviver com pensamentos que a todo o momento me gritam. Em um dia acordo empolgada, com alguma esperança, e basta que se passe um tempinho, a realidade se faz presente em cada um de meus pontos vitais. Nesse momento (no caso, "neste" também), me sinto como se houvesse uma vela acesa na minha garganta. Todo e qualquer sentido some. Não sei quem sou e temo o próximo passo. É sofrimento dilacerante. A angústia exerce o papel principal. Sinto-me sem forças de competir com tamanha força.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grato pela confiança e coragem do desabafo, minha cara!!

      Há dores e dores. Mas sempre há bálsamos da mesma dimensão, embora por vezes não os percebamos. A dor atordoa, sei.

      Estou aqui para ajudá-la, se desejar.

      "Pensamentos que gritam" nem sempre brotam de nós (embora em nós ecoem e sejam acolhidos).

      Podem ser muitos os diagnósticos.

      O importante, agora, é que você se decida a buscar ajuda, mesmo hospitalar (emergência, medicação).

      Podemos conversar, também. O meu e-mail é este: abelsidney@gmail.com.

      Terei que dormir, pois amanhã precisarei estar de pé cedo, mas estarei atento à mensagem que você me enviará!

      Resista aí!!

      Fica em paz,
      Abel

      Excluir
  83. Preciso de ajudar minha vida esta toda errada doenças na familia perda de bens estou indo pro suicidio !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se quiser conversar, envie mensagem para abelsidney@gmail.com.

      Os problemas passam, nós atravessamos (ou atropelamos eles) e podemos sobreviver, aprender...

      Segura firme aí!

      Até,
      Abel

      Excluir
  84. Se precisar conversar pode me adicionar também. maurosoares36@hotmail.com esse é o meu skype

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grato, Mauro, pela sua disposição em auxiliar!

      Estamos juntos:)

      Excluir
  85. Olá me faço refém do anonimato, pois só assim posso esconder a face de um fracassado, nesse caso eu. Ao longo dos meus 19 anos, suicido se tornou uma escolha no minimo consoladora. Está sendo utópico demais acreditar que o amanhã será um dia diferente, cheio de alegrias e glórias se com o passar das horas me afundo ainda mais na angustia e no desespero. Nisso me tornei frio com as pessoas, sendo que perdi todos os meus amigos, já que eles se afastaram de mim e eu acabei me fastando do mundo, tonando-me anti-social. Fico em casa, tentando estudar almejando uma universidade da qual sei que nunca irei ingressar. Não tenho tido muito sono, estou desempregado (corro atrás e nem entrevistas consigo), fico deitado no escuro olhando para o teto, escutando Alice In Chains, divagando para mim mesmo. Odeio o fato de acordar, abrir os olhos, e dar de cara com a realidade macabra da minha vida. Passo por problemas familiares, financeiros e com drogas. Ser feliz é indubitavelmente uma ilusão, já que muita das vezes a felicidade está condicionada pela sociedade. Sociedade de merda que impõe padrões e esterótipos apenas para suprir a necessidade do ser humano alimentar seu maldito egocentrismo. Ainda dizem que Deus é sádico... engraçado que o ser humano conseguiu ser mais sádico ainda, a ponto de transformar esse mundo em um verdadeiro lixo. Esses dias sai de casa sozinho para tentar aliviar a cabeça um pouco, antes de pirar de vez, e fui a exposição do Kandinsky, apenas para ser olhado de forma pejorativa pelas pessoas, e ouvir pessoas dando risada de mim após tropeçar ser querer no degrau de uma escada... pode parecer meio idiota isso... mas isso mostra o quanto as pessoas são verdadeiros demônios. Cheguei a conclusão de que ficar recluso ao mundo (pessoas e sociedade) é o melhor para mim... ou então cometer o suicidio. Cansei de tanto chorar, parece que só sei ficar me lamuriando dos meus fracassos e erros, bom talvez eu esteja com a visão turva de alguém cansado da vida. Na minha vida ter fé foi como dar o primeiro passo para algo melhor... no segundo passo... eu cai em um abismo escuro, onde fico preso e enjaulado na revolta, solidão, angustia, tristeza.... absorvendo todos os males psicológicos do sofrimento.
    Gostei muito do blog, pois me identifiquei com muitas histórias. Não sei se ainda está ativo, ou se alguém irá me responder... eu só queria alguém para conversar, pois como disse não tenho amigos... pretendo me suicidar em breve, descarregar um pouco com alguém será um pequeno alivio. Se alguém quiser deixar o email ou contato no facebook... fico agradecido...
    Obrigado por quem leu esse breve relato. Boa noite.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado Anônimo, eis nos aqui em nosso ||oásis de paz||, um recanto em que podemos desabafar e buscar mãos, braços e ombros amigos, sem quaisquer reservas.

      Não temos a pretensão de determinar o destino alheio ou decidir por quem quer que seja...

      Muitos, porém, buscaram auxílio, em momentos difíceis e aqui encontraram arrimo e proteção em acolhedoras palavras. Pode parecer pouco, mas isso é tudo quando nos falta o chão...

      Eu e o Mauro (maurosoares36@hotmail.com) estamos sempre a postos para as boas prosas, sempre bom remédio. Meu emeio é abelsidney@gmail.com.

      Estamos aqui!!

      Abraço,
      Abel

      Excluir
  86. Anônimo nao fique assim, estamos aqui para te ajudar. Me adiciona no face e no skype para conversarmos.

    maurosoares36@hotmail.com esse email e do meu Face e do Skype, me adiciona. Vou esperar a sua solicitacao.

    ResponderExcluir
  87. Esse post fez com que eu ficasse mais Alegre e hoje agradeço por estar viva mais penso em suicídio novamente so que dessa vez mais forte, aconteçe várias coisas na minha rua e penso em suicídio por causa da própria morte tenho nojo do que o mundo e hoje é medo de ser mais uma vítima não é apenas dor mais também medo!

    ResponderExcluir
  88. O importante é a gente ganhar fôlego e ir vivendo UM DIA DE CADA VEZ, vencendo a morte... Estamos aqui, à sua disposição, se desejar conversar. Os emails estão aí, o meu e o do Mauro.

    Torço para que a alegria volte forte a bater em sua porta!!

    Abraços

    ResponderExcluir
  89. Eu te entendo mais nao fique asim, sei que o mundo mudou para pior. Mais eu acredito que tem esperanca, devemos acreditar de coracao que Deus tem algo muito bom em nossa vida.

    Ja passei por isso, e sei que nao e um bom sentimento, estou a disposicao para te ajudar.
    maurosoares36@hotmail.com me add no skype quando voce estiver afim de conversar.

    Abracos.

    ResponderExcluir
  90. Tenho 15 anos. Já faz um bom tempo que ando muito desanimado, não vejo motivos para ta vivo. Sou preto, pobre, feio, e ainda moro no interior do Nordeste. É um inferno isso aqui. Já tentei me matar enforcado uma vez, achei até bom aquele formigamento com tudo ficando preto ao redor, mas alguma coisa não deu certo. Depois de um tempo isso ficou estagnado, tentei apertar o nó mas não deu. Acabei desistindo.
    Agora tenho medo de tentar novamente e apenas desmaiar, não sei o que fiz de errado, mas esperava que fosse rápido, só que não foi. Infelizmente, não tenho acesso a uma arma ou venenos, nem coragem para me dar uma facada ou me cortar ou me jogar defrente a um caminhão. Como já falei, tenho medo de tentar o enforcamento e apenas desmaiar como eu já ouvi dizer que acontece, e quando chegar alguém....vcs já sabem.
    Tbm não quero conversa com alguma pessoa, simplesmente não aguento a cara de cú que fazem. Amigos, os que tinha não eram realmente amigos, e os que continuam, não sei o que dizer, não confio, apenas isso. Já conheço os muídos que eles fazem quando sabem de algum fato, não é pequeno. Não moro com meus pais, eles são separados. Moro com a minha avó, mas odeio isso. Ela não gosta de mim, nem eu dela. Tenho que encarar isso todos os dias. Pedi para morar com o meu pai, mas ele não aceitou. Com mãe não dá certo, já tentei. A solução foi criar espectativa durante uns dois anos para poder cursar uma escola técnica fora, mas no ano em que as aulas começariam abriu uma na cidade cidade e agora serão mais quatro anos assim.
    Não sei o que fazer. Ou acontece alguma mudança muito grande ou não duro mais um mês

    ResponderExcluir
  91. Prezado jovem! Saúdo a você e sua facilidade de escrever. Se você resistir e superar as agruras da vida difícil que levas, serás grande. Tens inclinação literária, embora ainda não saiba (ou não queira admitir).

    Só peço que continue escrevendo, relatando o seu dia a dia, mesmo que insosso.

    Crie para você mesmo um estratagema para a sobrevivência em meio às dificuldades...

    Quer bons livros para ler e se tornar um bom escritor? Me escreva: abelsidney@gmail.com

    Não desperdice a sua vida, o seu talento.

    Abraços,
    Abel

    ResponderExcluir
  92. tenho 19 anos. não tenho mais esperanças. por ainda ser novo, a morte demorará. penso em suicídio. queria tanto ter oportunidade de viver. por que isso acontece? quando não é o vazio, é o desespero. escondo de todos. minha família, meus amigos vão sofrer tanto. Deus Grandioso, não sou capaz de ser um bom filho, me perdoa.

    ResponderExcluir
  93. É possível fazer-se um BOM FILHO para Deus e para os seus familiares.

    Tenha paciência contigo mesmo!

    Quer conversar por e-mail? Me escreva: abelsidney@gmail.com

    Vamos à luta!!

    Fica em paz.
    Abel

    ResponderExcluir
  94. Antes de eu ir eu queria dizer q eu li tudo aqui , mas continuo com minha decisao , obrigado .

    ResponderExcluir
  95. Dê um tempo a você mesmo, rapaz!!

    Repensa!

    Estamos aqui, ao seu dispor.
    Abel

    ResponderExcluir
  96. Amigao nao desista, sei o que voce esta sentindo. Se quiser conversar me add no skype maurosoares36@hotmail.com

    ResponderExcluir
  97. As vezes acho que nunca mais serei feliz. Tenho 28 anos e acho que a partir dos 14 anos perdi a felicidade. Tenho momentos de alegria, mas no fundo não consigo ser realmente feliz. Só não desistir de tudo, porque ainda acho que serei feliz no futuro. Sou servidor público ganho um salário, em um cargo de nível médio, embora tenha formação superior. Sou frustrado com meu emprego. Estou solteiro e nenhuma garota se interessa por mim, sempre me apaixono pela garota errada. Acredito que serei feliz quando conseguir outro emprego público na minha área de formação ou em um cargo que pague mais. Queria ganhar mais para poder ajudar alguns familiares, que precisam da minha ajuda, e claro para poder viajar e conhecer outros lugares e pessoas. Mas só tenho acumulado derrotas. Acho que não vou realizar meus sonhos. Parece injusto quando vejo colegas que com menos esforço alcançam vitórias. Parece que tudo conspira contra mim. Talvez um dia canse da derrota e o suicídio seja o fim dessa luta perdida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Conversemos,.amigo. Meu e-mail é o abelsidney@gmail.com. Você pode.e.deve superar a situações que, hoje, você vivencia.

      Abraço fraterno,
      Abel

      Excluir
    2. Tenho esse outro email maurosoares36@gmail.com

      Excluir
  98. Olá, também estou nessa onda.

    Estou num beco sem saída e nas horas de pouca lucidez fico vagueando pela web em busca de alguma ajuda, eis que encontro esse blog.

    Estou em depressão severa, na verdade desde minha adolescência sinto os sintomas, mas ela sempre vem agravando a cada ano ao passo que as responsabilidades também aumentam.

    Eu tinha um pequeno defeito na barriga, uma hérnia umbilical a qual deixava meu umbigo meio saliente, então delegava à isso parte da minha timidez em relação às mulheres etc.

    Resolvi fazer uma cirurgia e o resultado foi catastrófico, não sei se foi erro médico ou se foi a reação do meu corpo, só sei que meu mundo ruiu de vez. Já passei em outros médicos e eles dizem que está tudo normal, que o resultado varia de pessoa pra pessoa, que eu devo dar graças a Deus por ter resolvido um problema.

    Mas, porra, resolver um problema gerando outro bem pior?

    O problema é que eu já era meio anti-social e me enclausurei de vez. Só tenho pensado em suicídio quase 24 horas por dia. Antes eu pensava nos meus pais, mas hoje vejo o suicídio até mesmo como uma forma de vingança porque eles parecem ignorar meu sofrimento e não procuram me ajudar. É como se fosse um fardo pra eles.

    Não sei mais o que fazer, já tentei me apegar em Deus, mas logo a calma passa, estou sem emprego e não tenho disposição pra trabalhar também.

    Sem grana até pro básico, ainda mais pra ir num psicólogo...

    Sou formado numa área que o mercado não valoriza muito e passei num concurso público para 2016, mas tenho medo até de começar trabalhar e fracassar nessa área.

    Não sei o que fazer. Meu corpo ficou deformado demais. Me relacionar com uma mulher nessa situação: impensável pra mim.

    É horrível, penso em suicídio, mas tenho medo de me suicidar também, mas não sei se vou suportar por muito tempo. é isso pessoal, é mais um desabafo mesmo, já que não tenho com quem conversar sobre isso. Obrigado ao Abel e ao Mauro que acho que são os criadores desse blog, e tem ajudado muito as pessoas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu caro, eu e o Mauro estamos à sua disposição se quiseres conversar privativamente (abelsidney@gmail.com e maurosoares36@hotmail.com).

      Até já!!

      Excluir
  99. tenho momentos em que sinto ódio por qualquer coisa, aí começo a chorar do nada junto com uma angústia tão grande que começo a soluçar. Corro e pra tomar um banho e ver se passa mas não passa não. tento esconder o máximo q posso pq meus pais iriam me tratar como um louco depois disso.
    Tenho muita raiva deles pq pais são quem criam e quando os pais rejeitam um filho como eles fazem comigo não podem ser considerados pais. só tenho 16 anos, o que posso fazer com a vida? esperar morrer sufocado da angústia que sinto?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jovem, meu caro, o seu caso parece ser um transtorno emocional, que hoje se cura com medicação leve.

      É preciso, porém, buscar falar disso com algum adulto confiável (um parente, algum adulto de sua escola, um amigo mais velho).

      Vamos fazer assim?! Não faz sentido você sentir tudo isso sem buscar ajuda!! Você não está louco, doido, de maneira nenhuma. Só com uma doença emocional que pode ser curado.

      Se quiser conversar, me envie uma msg via e-mail (abelsidney@gmail.com).

      Muita paz,
      Abel

      Excluir
  100. Oi , tenho dois filhos uma menina de 15 anos linda cheia de vida, e um rapaz, um menino de 22 anos. Moro com eles e com minha mãe e meu irmão de 23 anos. Ando muito triste com tudo que tem aocntecido em minha vida, eu e meu filho estamos sempre brigando e ele não me respeita como mãe, sacrifiquei minha vida por eles, e hoje penso seriamente em me matar, mas ao mesmo tempo penso na minha filha, como seria a vida dela sem mim. Não sei o que fazer, mas também não quero mais viver assim,, estou cansada de tudo, nada mais me faz feliz, sinto vontade de sumir, desaparecerSei que é egoismo, mas estou muito cansada de tudo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha cara, estes são mesmo tempos difíceis.

      Mas não devemos nos abater!

      Talvez seja a hora de se cuidar mais, de focar mais em você e buscar encontrar mais motivos para viver!!

      Se quiser continuar conversando, me escreva: abelsidney@gmail.com

      Siga firme!

      Fica em paz,
      Abel

      Excluir
  101. Meu problema não é passageiro,pois é sempre o mesmo problema,por isso está é minha última tentativa,se eu fracassar novamente,vou me matar e pronto,não vou viver essa vida de humilhação mais não.

    ResponderExcluir
  102. Estou aqui torcendo para que o "tente outra vez" não se esgote; que você se dê outras chances e tudo se ajeite, se ajuste.

    Querendo conversar, me contacte: abelsidney@gmail.com

    Muita paz,
    Abel

    ResponderExcluir
  103. Para os estãp enfrentando problemas de depressão ou até que estão pensando em suicídio recomendo a leitura do livro O Poder do Agora (facilmente encontrado em vários sites. Esse livro meus amigos tem me ajudado a combater todos esses maus pensamentos e a viver de forma mais serena. Por favor leiam, vale a pena.

    ResponderExcluir
  104. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  105. Bom Dia. Tenho 21 anos, estou no meu ultimo do curso de Gestão, mas estou a pensar no suicídio porque sinto que desperdicei a minha vida.. mas sei que não ira acontecer, porque simplesmente não tenho coragem... Basicamente eu sou tímido, tenho poucos amigos, e com 21 anos Nunca tive uma namorada nem sequer tive o meu primeiro beijo... gosto de atualmente de uma rapariga na minha faculdade, que é minha amiga mas quem me dera não gostar.. porque vou estar a sofrer em silencio, sabendo que jamais teria alguma hipótese e que nunca lhe direi o que sinto, tal como ja aconteceu noutras vezes.. ate agora eu estava a melhorar, porque simplesmente convenci-me a mim mesmo que ia morrer sozinho, sem nunca ter namorada ou ter beijado na minha vida... mas depois ao começar a gostar de alguém, lembrei-me do quão patética a minha vida têm sido.. tenho chorado muitas vezes á noite em depressão sem dizer a ninguém... não gosto de estar a pensar grande parte do dia numa pessoa, que nunca terei hipótese porque ja sei que vou morrer sozinho.. e depois penso que o meu pai deve achar que sou homosexual, porque ele esta sempre a perguntar como é que aos 21 anos ainda nunca arranjei namorada.. estou farto, eu sei que para quem possa estar a ler, isto possa parecer uma coisa sem importância, mas eu sofro com isto... não me suicido porque não tenho coragem... apenas estou a escrever aqui, para poder desabafar online, sendo que nunca o fiz na vida real...

    ResponderExcluir
  106. Meu irmão de além-mar!

    Creio que sejas de Portugal pelo seu modo de escrever. Seja bem-vindo ao nosso blogue.

    Aqui todas as dores são respeitadas, pois cada sabe de si e do que lhe incomoda!

    Peço que tenhas mais paciência contigo comigo e busque meios, alternativas para se firmar e ousar na convivência com o sexo oposto.

    Talvez a tua timidez esteja a te fazer mais mal do que tudo o mais.

    Converse abertamente com esta sua amiga sobre o seus sentimentos e percepções. Isso não significa declarar-se, mas abrir-se.

    Sinceramente, neste mundo de relações líquidas (frívolas, passageiras e, às vezes, inconsequentes) muitas mulheres preferem os homens mais pacatos ou recatados.

    Tome coragem, enfrente!

    E vá contando para todos nós as suas experiências e lutas:)

    Se quiser conversar privadamente, faça-o: abelsidney@gmail.com

    Abraço fraterno e amazônico,
    Abel

    ResponderExcluir
  107. Não sei bem como começar, acho que grande parte minha se perdeu e já não sei como seguir adiante, ao mesmo tempo penso que só estou a escrever bobagens aqui. Reformulando, pode alguém incompleto seguir um caminho? Me chame de Perdida, tenho 16 anos e daqui uns dias 17, enfim. Acho que se é para desabafar mesmo deve ser do começo do começo. Quando criança tive momentos felizes é claro, mas na maior parte do tempo cheio de brigas, intrigas. Meus pais me faziam escolher lados como se fossemos inimigos, na verdade isso vinha mais da minha mãe. Eram tantas discussões e eu sempre ali no meio, eu não sei dizer como mas acrdito que isso influenciou em quem sou hoje e no que estou me transformando. Sempre fui na minha, a garota tímida e meiguinha. Lá pelos oito anos minha mãe me disse que tinha câncer, eu nem imaginava a gravidade. Pensava até ser um tipo de gripe, algo que com antibiótico curasse, que ingenuidade. Ela passava pelos quimioterapias, perdeu o cabelo, lembro de ter tido vergonha por ela usar peruca, que idiota superficial. Lembro quando tirou o seio direito. E lembro o dia e a hora que morreu, quando eu tinha quatorze anos, depois desse dia entendi o câncer, como agia e como matava. E como fazia sofrer, meses depois minha avó e meu avô morreram também, não senti nada, nem era tão chegada neles. Eu senti raiva e queria me revoktar com algo ou alguém, tinha ódio de mim por não conseguir odiar Deus. Eu tentava por a culoa nele e nemnisso conseguia, porque não acrefitava que a culpa era dele e até hpje sei que não foi. Bem, mas eu forcei um afastamento de Deus e resolvi experimentar a masturbação, era bom, mas acaba tão rápido o momento de se desligar de tudo, eu poderia ter me tornado devassa ou ter ido pras drogas, mas infelizmente ou felizmente sou inteligente demais pra isso. Então peecebi que tinha que seguir em frente, tento agir como se tivesse suoerado, mas a vontade de morrer, o lixo que sinto as vezes me sufoca, a morte me chama.
    Sou tão boa com os outros, tento não ser egoísta, sigo a educação que recebi dos meus pais. Sorrio e os faço rir, a todos. E aí lembro que sou tão triste...Não sou suficiente, do que adiantw dizerem que sou linda se não vejo isso? Essa insegurança asquerosa. Estou condenada a ser metade fleiz e metade morta, sorte não ter coragem de me matar, é mais por medo da dor e por causa do meu pai, pra que fazer ele sofrer n é? Sinto que escrevi bobeiras, mas já tenho bolhas no dedo para desistir, desculpe por esse texto tão AF perto do natal e réveillon. Não tenho vontade de corrigir os erros ortográficos, desculpa novamente. Não sou sempre assim, mas hoje precisava descarregar esse lado sombrio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sou muito grato por este seu testemunho corajoso e catártico!!

      Se quiser conversar mais meu e-mail é abelsidney@gmail.com.

      Muita paz! Siga adiante!!

      Excluir
  108. se as pessoas tivesse mais amor em si proprio não pensava em machucar o coração das outras,pois é uma dor que a gente não esquece nunca na vida,é uma tristeza que machuca muito o coração da gente,eu já passei por tantas nesta vida que ja tentei por fim na minha vida muitas vezes mais Deus não deixo ,uma coisa que eu descobri que eu pensava que era mentira mas era a pura verdade eu ouvi minha mainzinha com lagrimas nos olhos me contar uma historia que nunca ela pensava em me contar que eu não era filha dela mas que ela me amava mais do que todos seus dez filhos que eu sempre ia ser a sua caçula ,ela so me contou porque foi obrigada,os filhos dela e a sua nora não gostava de mim tinha muita inveja,depois de 15 dias que ela me contou ela morreu nos meus braço,ela entrou em depressão porque era o unica coisa que alimentava ela,ela tinha 84 anos e os seus filhos tinha muita enveja porque ela só queria que eu cuidase dela mas agora eu sei que nada vai trazer ela de volta pra mim,mas ela sempre cuidou de mim eu amo ela demaismesmo sabendo que nunca mais eu irei vela ?

    ResponderExcluir
  109. Grato pelo seu depoimento. Uma história de amor. Que Deus ampare sua mãe e que você honre, como tem feito, a sua memória! Muita paz!!

    ResponderExcluir
  110. Tenho 17 anos, moro com minha mae, não conheco meu pai pessoalmente pois minha mae sempre falou mal dele e ano passado falava com ele mas só por mensagem, aí quando minha mãe descobriu ela quiz me mandar embora de casa então fui obrigada a parar de falar com ele.. tenho um padrasto e uma irmã que ele é pai, toda vez que acontece uma coisa que ela inventa ou apronta eles me enchem o saco e passam a mão na cabeça dela, e o pior de tudo minha mãe e meu namorado são sócios em uma empresa e brigaram por motivos empresariais e entao ela anda me ameaçando pois ele e de maior e ela diz que vai denunciar ele.. quando to em casa eu faco de tudo pra eles e nunca esta bom, quando estou no.meu quarto querendo um pouco de paciência pra cabeça alguém sempre vem encher o saco... tenho nojo da minha vida

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu caro, sua situação é um tanto complicada, mas devo dizer que ACREDITO em REVIRAVOLTAS! Já vi gente saindo de enrascadas muito difíceis, aquelas ditas impossíveis...

      Então, nada de desanimar e, principalmente, de SE AUTOMUTILAR emocionalmente.

      Amar-se, por vezes, é aprender a dizer NÃO, com firmeza. É se recusar a fazer parte do jogo sujo alheio. É sair da zona de conforto e ir à luta, mesmo que o ameacem quanto ao que você "PODE PERDER"...

      O mais importante é salvar a própria pele! É se preservar e mudar de rumo quando todos querem seguir rumo ao abismo, à lama.

      Então, busque o amparo de Deus e tome a decisão mais sensata tendo por princípio a sua autopreservação. Se os outros querem se lascar o problema é deles! Faça a sua parte!!

      Excluir
  111. TENHO 51 ANOS, SOLTEIRO, HOMOSEXUAL, TENHO UM RELACIONAMENTO, MORO LONGE DA MINHA FAMILIA POR TER OPTADO MORAR EM OUTRA CIDADE NUM NOVO TRABALHO, O QUAL NAO ESTA ME TRAZENDO NENHUM RETORNO FINANCEIRO, ME ACHO INCAPAZ DE PROCURAR OUTRO EMPREGO NA MINHA IDADE, NAO TENHO NENHUMA ESPECIALIZAÇÃO, SEMPRE TRABLEHI COM MINHA FAMILIA NO COMERCIO, FAZENDO UM PIUCO DE CADA COISA, NAO SOU UM EXPERT EM NADA, NAO TENHO NENHUM SDOM PRA ISSO OU AQUILO, NAO TENHO CORAGEM DE SAIR EM BUSCA DE UM EMPREGO POR ME SENTIR INCAPAZ, POR TER VERGONHA DE NAO TER NENHUMA ESPECIALIZAÇÃO, CONVERSO COM AS PESSOAS, ELAS SEMPRE TEM UMA SOLUÇÃO PRA MIM ATRAVES DE CONSELHOS, PARECE QUE NINGUEM ENTENDE O QUE SE PASSA NA MINHA CABEÇA, A DIFICULDADE QUE SINTO DENTRO DE MIM, É HORRIVEL, ME SINTO COMPLETAMENTE FRUSTRADO, SEM PERSPCECTIVAS E SEM NENHUM SONHO. VIVO O DIA A DIA E SEMPRE TRISTE, ANSIOSO E COM MEDO, MINHA GRANA TA ACABANDO, NAO SEI O QUE VOU FAZER, PROCURO EM SITES DE EMPREGO, MAS NAO EM ENQUADRO EM NADA, E QUANDO FALO ISSO, TODOS FALAM PRA QUE EU TENHA CALMA, NA ME CONFORTA. É COMO SE EU ESTIVESSE CERTO E TODO MUNDO ERRADO OU SE PREFERIR TODO MUNDO CERTO E EU O UNICO ERRADO E NAO SEI COMO DESFAZER ESSE PROBLEMA,. NAO VEJO SOLUÇÃO, SOMENTE ORO PRA QUE DEUS ME DE UMA LUZ E ME MOSTRE UM CAMINHO, PRECISO DE UMA SOLUÇÃO. CNSELHOS NAO ME ADIANTAM, FRASEI FEITAS NEM PENSAR, ENFIM, NAO SEI QUAL O MEU FIM.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu amigo, se quiser conversar eu e o Mauro estamos à disposição (abelsidney@gmail.com e maurosoares36@hotmail.com).

      Creio que podemos, juntos, buscar soluções.

      Muita paz,
      Abel

      Excluir
  112. Eu já tentei suicídio, na penúltima vez fui encontrada e socorrida (enforcamento) fiquei internada em uma clínica por 48 dias, após alta que ocorreu dia 22/12/2014, tomei medicamente por um ano, muitos remédios, com o estômago destruído e 8 kg acima do peso, parei com os medicamentos. Estou cansada, sou infeliz, não quero mais viver. Quero ser livre, quero me livrar de todos os problemas, posso ser despertada egoísta...mas tenho o direito de escolher viver ou morrer. Estou de férias em Búzios, ontem tive a oportunidade de ficar sozinha e a única coisa q encontrei p me enforcar foi minha bolsa, a alça da minha bolsa,mas não deu, muito curta. Não tenho coragem de pular de um prédio, engraçado, mas tenho medo de altura.
    O que faço dessa vida? Socorro!
    Vida inútil!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eis-me aqui respondendo mensagens de pessoas que aqui desabafam.

      Muitos deixam aqui seus últimos escritos. Fazem suas despedidas e demandam o País da Morte, ignorando o quem podem se defrontar ao chegar por lá!

      Dizem que os afetados pelo desespero não raciocinam, não filosofam; não estão preocupados ou interessados em questões metafísicas ou de ordem espiritual.

      Pode ser... Pode ser que nossas crenças fiquem anuladas quando desejarmos exterminar nossas dores e a nós próprios.

      As dúvidas, no entanto, nos perseguirão, acredito, mesmo nos últimos instantes...

      Existirá tão somente um "ponto"? Um "ponto final" e pronto?! Ou será uma pequena pausa, uma "vírgula"? Monteiro Lobato questionou-se, ao final de sua existência, nestes termos. Ele, porém, nutria-se da forte crença de que a "vírgula" melhor expressava a pausa que haveria de existir entre os dois estágios que chamamos de 'vida' e 'morte'.

      Aqui no cais, no porto seguro de minhas insistentes crenças tento convencer uns e outros que o melhor é não partirmos de qualquer modo rumo ao Mar Desconhecido. Ou que o façamos quando o barco do corpo tiver suas amarras naturalmente desatadas para o tempo certo de partida...

      Enquanto isso, que nos refaçamos na jornada, buscando paisagens melhores para descansar o olhar e o coração.

      Se gostamos de viver aventuras, que estas sejam vivenciadas AQUI, em todos os INSTANTES que nos restarem.

      Assim aconselhamos, há alguns anos, um visitante do blog, acometido de uma doença incurável. Perguntou-me ele se não seria mais lógico abreviar a vida, em razão do fim inevitável!

      Disse-lhe que em melhor situação ele não poderia estar! Ele não tinha nada a perder, nem a própria vida, pois esta poderia se lhe escapar das mãos a qualquer momento...

      Disse-lhe mais: que no lugar dele eu iria me aventurar! Iria vivenciar todas as experiências possíveis; me embriagar de doces e interessantes prazeres...

      Não sei o que ocorreu, de verdade, mas o fato é que ele concedeu, a si próprio, toda a sobrevida que podia. Foi à luta e buscou sorver cada instante que, supostamente, lhe restava.

      Um dia ligou-me, tímido e em brevíssimos minutos, agradeceu-me o conselho!
      Fiquei contente por ter-lhe, de algum modo, proporcionado a oportunidade de ver o mundo com um olhar mais leve e otimista.

      Quisera eu, também, prezada anônima, indicar-lhe roteiros para a vivência de interessantes e insuspeitados prazeres novos!!

      Entre nós ergue-se, no entanto, o fantasma da *depressão* e suas irmãs e irmãos, que lhe tem toldado a visão e lhe oferecido apenas vazio, amargura e desconforto.

      Se você, por quaisquer meios, conseguisse debelar as sequelas destes males físico-psíquicos que te atordoam, mais fácil seria sonharmos juntos alguns roteiros de aventura – na terra, no ar, no mar...

      Não é fácil convencer alguém a insistir no tratamento contra estes males, pois esta doençan altera nossa percepção e as conexões com os prazeres simples da vida.

      Dona Deprê nos faz crer que não temos vergonha, força, caráter... Nós assimilamos estas sugestões e passamos a acreditar que são ideias ou sentimentos nossos!

      Ana Maria Saad, atriz, diz ter vencido Dona Deprê. Criou uma instituição e vive apregoando meios alternativos de tratamento e TOTAL CURA.

      No alto de sua autoridade – ela é inteligente, de boa família, bonita – muitos se sente atraídos por sua palavra e seguem na mesma trilha.

      Outros, mais despojados – pobres, de origem indeterminada, feios até – também se curam, mas é nos terreiros, nas igrejas, em meios hoje considerados suspeitos... Fé não é artigo que inspire confiança, proclamam alguns.

      Eu continuo fazendo minhas apostas na vida, na cura, na renovação.

      Aventurar-se é preciso, até a última gota, mesmo após termos perdido toda esperança...

      Não temos que esperar nada!

      Temos que seguir adiante, resistindo, prosseguindo, até que a vida, nos seus rituais e do seu jeito próprio, nos entregue aos braços da morte. Assim esperam. Assim façamos. Assim é mesmo danoso para todos.

      Que assim seja!

      Excluir
  113. Amigo vou acabar me suicidando o mais cedo ou mais tarde pois nao suporto eu trabalho as pessoas que nele estão e principal odeio a cidade em que moro . Aì vc diz mude e saia do trabalho mas pra isso tenho que abrir ao da felicidade dos meu filhos e isso nao posso fazer . Entao acho que vai chegar o dia em que eu vou cometer o suicidio

    ResponderExcluir
  114. Peço que me escreva (abelsidney@gmail.com). Crie uma conta extra se quiser continuar preservando sua identidade. Nossa conversa exige privacidade. Estou aguardando!

    Muita paz,
    Abel

    ResponderExcluir
  115. Peço que me escreva (abelsidney@gmail.com). Crie uma conta extra se quiser continuar preservando sua identidade. Nossa conversa exige privacidade. Estou aguardando!

    Muita paz,
    Abel

    ResponderExcluir
  116. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  117. Naty, às vezes a única forma de nos amarmos é decidindo SALVAR A PRÓPRIA PELE.

    Cercado de lobos, ainda mais.

    Se você tinha algo a vivenciar ao lado destes teus familiares, já vivenciou!! Permita-se a alforria. Liberte-se!

    Volte para a França, caso seja possível ou recomece sua vida onde for possível.

    Você é a pessoa mais importante da vida para você mesma!!

    Ouse partir e recomeçar. Deus mostrará o caminho!

    Muita paz,
    Abel

    ResponderExcluir
  118. Obrigada foi bom desabafar

    ResponderExcluir
  119. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estamos ao seu dispor!

      Este é um muro de desabafos, de catarse...

      Siga em paz, com mais leveza e serenidade:)
      Abel

      Excluir
  120. Não tinha me dado conta de quantas pessoas estão do mesmo jeito que eu!! Sabe, ultimamente tenho pensando muito em cometer suicidio, não consigo mais ter esperança ou motivos pra continuar, tive muitas decpções em minha vida e sempre fui muito solitario, e a cada dia que passa tenho me afastado cada vez mais das pessoas e me isolado. É dificil continuar sendo que sempre fracassei e nunca consegui atingir coisas que tanto deseja-va. Não consigo mais confiar em amigos, sou pessimo com garotas, e as vezes acho q minha familia nem liga muito se eu estou presente ou não. A unica pessoa que sempre se importou comigo foi minha mãe, mas isso tem mudado de um tempo pra cá. Eu estou pensando em ir embora, mudar de cidade e tentar recomeçar uma nova vida, pois a unica opção que vejo aqui é o suicidio. Mas minha mãe não quer me acompanhar, pelo menos não agora, e sinto que não irei suportar se continuar aqui. Nós iriamos morar com meu pai, em uma cidade tranquila do interior, mas ela diz querer esperar por mil e um motivos, e acho que não compreende a minha situação, mesmo sabendo que penso em tirar minha vida. Eu talvez irei sozinho, mas tenho medo de que acabe piorando, e que eu acabe machucando a unica pessoa que se importou de verdade comigo. Eu realmente não sei o que fazer, se ficar vou acabar tirando minha vida, se for sozinho vou ficar pior ainda e corro o risco de cometer um grande erro. O que devo fazer?

    ResponderExcluir
  121. Grato pela partilha!

    Respondi privadamente, pois você acreditou que a sua identidade estaria resguardada e me enviou esta mensagem para o meu endereço eletrônico (abelsidney@gmail.com).

    A ideia da publicação desta postagem é em razão do que você disse no início do seu texto:

    "Não tinha me dado conta de quantas pessoas estão do mesmo jeito que eu!!"

    Milhões de pessoas atravessam seus momentos de pesar, de dúvida, de luto e dor. Daí a necessidade de aprender a olhar para "os lados". Empatia e compaixão são sentimentos poderosos!

    ResponderExcluir
  122. Olá,eu tenho 17 anos,me chamo Cris,e ja tentei suicidio seis vezes.
    Mas eu ainda penso em morrer muitas das vezes,pois algumas situaçoes me levaram a isso.
    Agressoes,abuso,bullying,enfim
    Eu me sinto um nada
    E as vezes penso que morrer poderia acabar com a minha dor... Eu preciso muito de ajuda.

    ResponderExcluir
  123. Cris, grato por compartilhar suas dores e esperanças!

    Bem, estamos aqui para acolher você. Se quiser conversar privadamente eu e o Mauro estamos à disposição (abelsidney@gmail.com /maurosoares36@hotmail.com).

    Temos ombros experimentados:)

    Fica em paz.

    Aguardaremos o seu contato.
    Abel

    ResponderExcluir
  124. Olá, tenho 38 anos. Nasci num lar evangélico e fui criado assim até meus 20 anos. Abandonei a doutrina e fui para o mundo beber, farrear e pecar. A pouco Mais de um ano me dei conta da burrada que estava fazendo com a minha vida, minha esposa e filho. Abandonei a vida errada e comecei a ler o Evangelho. Li em 6 aos Hebreus que é impossível que alguém que abandonou a vida cristã vir a se arrepender genuinamente, que o que sinto é remorso. Isso tá me consumindo. Não consigo mais dormir direito. Já fui em psicólogo, psiquiatra. Acham que estou com alguma psicose. Não vejo mais sentido em minha vida. Alguns de minha família me apóiam dizem que estou errado. Outros calam e dão a entender que estou perdido. O certo e que acho que já estou condenado ao inferno. Sei que suicídio só vai adiantar a minha ida. Não vejo saída. Vivo como que vegetando. Está muito difícil. Não sei o que fazer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado anônimo,

      Não posso ter com você meias palavras.

      Acabei de ver, na internet, a seguinte matéria: "É impossível o arrependimento de acordo com Hebreus 6:6".

      O espírito vivifica e a letra mata. Este trecho, se interpretado fora do contexto do perdão divino, pregado por Jesus em todo o Evangelho, é realmente MORTAL!

      Se o próprio Saulo, com todos os seus graves erros teve uma outra chance, por qual motivo teria ele escrito sobre a impossibilidade do arrependimento? Não faz qualquer sentido.

      Há problema de transcrição, há falha de interpretação, pois é BLASFÊMIA imputar ao Deus misericordioso, que "faz chover sobre bons e maus" a irremissibilidade de qualquer pecado!

      O remorso que te atormenta está a causar muito mal!!

      Não tenho qualquer autoridade religiosa para te convencer do contrário, mas apelo ao teu bom senso, à tua razão, em MEU nome e em nome de MILHÕES de cristãos que por conseguirmos VER/SENTIR/COMPREENDER o perdão divino ESTAMOS aqui VIVOS!!

      Você terá que SE CONVENCER que DEUS é bom e grandiosamente misericordioso a ponto de te dar mais uma oportunidade de reconstruir sua jornada.

      Faça isso pela sua esposa e filhos, pelos membros da sua igreja, pelos milhões de cristãos que, se soubessem do seu caso, teriam e terão a mesma opinião aqui apresentada.

      Que o Altíssimo, o Eterno te abençoe abundantemente.

      Fica em paz,
      Abel

      Excluir
  125. Oi, eu me sinto uma fracassada pensando se eu serei alguém na vida,as vezes eu me olho no espelho e penso naquela garota linda e maravilhosa da escola e começo a chorar,eu queria saber lidar com isso mas eu não consigo evitar, quero morrer mas não quero morrer sentindo dor.

    ResponderExcluir
  126. Tainá, minha cara, muitos de nós já passamos por situação semelhante - a da dificuldade de nos identificarmos com o próprio corpo!

    Não quero, com isso, medir a sua dor ou compará-la. Desejo apenas dizer que isso é mais comum do que a gente imagina.

    Eu, particularmente, detestava meu nariz! Tinha outras dificuldades, como a de me desvalorizar e, por conta, de me relacionar com as meninas.

    Felizmente, estes momentos conflituosos tendem a passar! Às vezes deixam marcas negativas, cicatrizes que exigirão verdadeira "cirurgia plástica emocional".

    Desejar desaparecer é também mais comum do que pensamos. Não queremos nos matar, não estamos brigados com Deus, mas simplesmente deprimidos e, assim, não vejamos graça em nada!

    Tudo isso tem jeito, Tainá!!

    A gente descobre, mais tarde, que muitas das nossas limitações (reais e/ou imaginárias) serviram como proteção, como meio de nos conter e, por isso, nos livramos de situações muito ruins.

    Ânimo forte aí, menina! Não desista de você!! Você é mais do que um corpo bem modelado. Pode acreditar!

    Querendo conversar mais, me escreva: abelsidney@gmail.com. Sou casado, cinco filhos, servidor público e escritor. Estarei à sua disposição.

    Fica em paz e com Deus!
    Abel

    ResponderExcluir
  127. Como sair de algo que não compreendemos... Ou ainda, como lidar com um futuro onde não nos reconhecemos? Já fui a psicólogos, psiquiatras já fiz PNL, Reiki, Yoga... Passo horas na net a tentar perceber o que aconteceu, como inverter o processo mas acabo por concluir que não vale a pena. Idenfico-me com várias coisas e ao mesmo tempo com nada, no fim do dia, foi mais um dia...Menos um sorriso, menos uma palavra, menos uma conclusão.
    Sempre fui uma pessoa dinâmica, cheia de vida, com sucesso na escola, sucesso no trabalho e no meio do sexo oposto, há um ano atrás com 20 anos tinha a vida perfeita, manager no meu emprego de sonho, boas notas na faculdade, um grande grupo de pessoas com quem estar regularmente, uma família, uma casa, amigos com quem podia contar, saídas à noite regulares, rapazes interessados e envolvida com o amor da minha vida, que infelizmente tinha o triplo da minha idade, filhos e uma mulher. Fora este último ponto, era feliz. Quando este se decide casar eu concluo que nunca iria ser capaz de terminar a relação mas viver naquela situação também seria algo impossível para mim e por isso decidi mudar de vida, deixei tudo e parti para outro país. Entrei na Faculdade, arranjei emprego, novos amigos, muitos conhecidos e nas primeiras duas semanas foram perfeitas, até apertar a saudade, até crescer o vazio, até se instalar a ansiedade, até aparecerem os ataques de pânico, até começar a sentir-me só ainda que rodeada de gente ou por vezes farta de não ter tempo para estar só, perdi o apetite, muito peso, o brilho nos olhos, na altura não sabia o que era mas pelos vistos, vivi com depressão naquele tempo. Continuava comunicativa, a sair à noite (embora me divertisse cada vez menos), a ir trabalhar e a fazer a faculdade, no meio de um ataque de pânico decidi que não aguentava mais (sabia lá eu.. não aguentar mais o quê? aquele vazio, aquela ansiedade.. decidi voltar para casa, como se isso resolvesse algo), quando contei aos meus colegas da FAC ninguém queria acreditar: Porquê eu que andava sempre contente, cheia de pessoas à volta e sucesso no que fazia? Eu que era amada e procurada por todos.

    ResponderExcluir
  128. Enfim... Eu não me sentia capaz de ficar ali, mas parte de mim sabia que o meu regresso não iria ser melhor mas na altura, agi que cabeça quente. E no vai e vem de avião de um país para o outro, voltar a casa para tomar uma decisão, regressar ao país para tratar das burocracias, regressar a casa, algo aconteceu... Um click na minha cabeça desativou-me por completo. Não só a minha energia como a minha personalidade. E é neste ponto que tudo se torna difícil de perceber. Não vale a pena dizer que não devia ter ido para outro país para fugir ao meu problema, já sei... Não vale a pena dizer que a depressão nos torna fragéis, já sei. O que preciso de saber é COMO, perco assim tudo. Voltei ao meu país e não conseguia falar com ninguém, tinha os pensamentos a mil e precisava de processar, não dormia há dias e tinha tido alucinações devido a isso (coisa horrível, não sei como consomem drogas para viver aquele inferno que eu vivi só por não dormir e não desejo a ninguém) e por isso até aí era normal. Vi um Psicólogo, falámos algumas vezes mas deixei de ir por não haver mais nada para dizer. Não há nada para dizer e por isso deixei de estar com pessoas. Não consigo pensar, NADA. Não consigo sentir nada... Não sinto o abraço da minha mãe. Não consigo pensar, não consigo falar. Há meses que da minha boca só saem as palavras: é-me igual, sim ou não. Olho para as pessoas, oiço o que dizem e na minha cabeça só passa ar e vento, já desisti. No início ainda fazia um esforço para fazer perguntas ou dizer palavras, mas era tão básico, tão vazio... Que desisti. Não sei como pensava, não sei o que dizia. Não sei como as pessoas teêm tantas palavras para dizer. Não me sinto capaz de nada e sempre fui capaz de tudo.
    Não quero nem sei viver com esta pessoa que surgiu sem como nem porquê.
    Só queria encontrar alguém na mesma situação que eu, que percebesse.. E melhor que tivesse saído disso.. Ou aprendido a viver com isto. Isto que não é depressão mas sim uma porra esquisita.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Resista e insista mesmo não sentindo mais o sabor da vida! Há dias assim: tudo insosso...

      Como explicar?

      Vivemos em busca de muitos pontos de referência para nos situarmos, nos guiarmos. O caso é que, em algumas ocasiões, parece que eles desaparecem. E tudo parece não ter mais sentido.

      Nem todos construíram, é verdade, a bússola interna a que chamam de fé. Os que dizem acreditar nisso ou naquilo parecem ter uma estranha maneira de prosseguir no escuro, mesmo sem saber o que se tem pela frente! Parecem loucos de pedra!!

      Mas a fé escasseia em todas as formas de conhecimento e meios de intervenção na realidade - mito, religião, filosofia, arte e ciência!

      Bem, o que por vezes nos resta são retalhos de experiências alheias. Eu sou uma delas. Um louco que acredita ser possível "prevenir o suicídio", "valorizar a vida", "encontrar o sentido perdido", "existir o fio do sentido da existência - ou os fios para se tecer algo neste sentido..."

      Atravessei (e atravesso) muitos abismos e me faço testemunho vivo de que vale a pena resistir & insistir & sobreviver a nós mesmos e nossas desvairadas experiências...

      Eu e a doida Ana Maria Saad e sua crença de que venceu a depressão!! (Vide aqui: http://www.anamariasaad.com.br/)

      Acredito no instante presente, que não passa e se eterniza a cada passo do relógio.

      Acredito no Deus que acolhe e perdoa sempre, nos reanimando para prosseguir, mesmo em nossas sandices! "Vá ser doido na vida, mas viva e aprenda alguma que lhe sirva!" - Ele me diz, acreditando em mim...

      Acredito nos que insistem em fazer o bem pelo bem.

      Por tudo isso, peço: continue escrevendo e dizendo tudo o que você sente, o que deixou de sentir... O que acredita ou deixou de acreditar. O que vivencia, com sal, açúçar, com sabor ou sem ele.

      Continue partilhando e partilhando tudo o que vai pelos (des)caminhos do coração e da mente (que mente e mente, mas também se faz lucidez, às vezes presente!)

      Sigamos!!

      Excluir
  129. na frente dos seus filhos ( somos em 4 irmão ). Ela tinha ofender ele de algum jeito (eu meio que entendo esse lado dela , pela violência que ela sofreu) mais não na frente de seus filho. Minha irmãs mais velhas davam corda para ela e então o discurso de ofensas tomava conta de casa. não era o bastante ofender , ela desistiu da vida dela , não trabalhava , as contas foram atrasando e com isso vinha os namoradinhos que só queriam saber de uma coisa em troca de dinheiro , mas ela gostava por receber o que gostava e além de encher a cara todos os dias e voltar de madrugada deixando eu e minhas irmãs mais velha no escuro e sem almoço e janta. Nessa época meu irmão mais novo tinha ido morar com meu pai, até achei bom por ele não estar com agente lá. Minha irmãs raramente ficavam em casa e eu descia as escadas para a casa da minha vó para pedir para almoçar ou tomar um banho.
    Em 2015 em quanto minha mãe estava em minas e só estava eu e uma irmã minha em casa , aconteceu de minha irmã conseguir uma casa como seu namorado e atual marido e eu ter de ficar sozinho em casa. Antes de ficar sozinho em casa eu já estava envolvido com cigarro,bebida e droga, pra mim já nada fazia sentido e a vontade de se drogar a ponto de ver a luz e parar se sentir essa dor psicológica . mas não cheguei a esse ponto , até ser expulso daquela casa e ir morar com meu pai. minha mãe voltou e foi morar com uma de minhas irmãs , e quando comecei a trabalhar eu aluguei uma casa de 2 cômodos como um salario miserável que uma padaria me pagava e levei minha mãe pra morar comigo , fiquei 11 meses nessa casa e como eu que trabalhava para colocar as coisas dentro de casa eu dava o dinheiro para minha mãe e ela pagava o aluguel,contas e comprar. sempre dava o dinheiro contado para isso e o que sobrava eu comprava drogas e bebidas , para mim já bastava . mais pra frente ela deve que voltar para minas porque minha vó tava doente . Eu fui demitido e consegui pegar o dinheiro certinho na padaria e pensei que ia ficar tranquilo, quando pensei em deixar as coisas tudo quitadinha em casa , eu vi a pasta onde ela deixava as contas e vi que tinha contas de luz e de água atrasada , liguei para o proprietário da casa e perguntei se eu tava devendo alguma coisa pra ele , os 2 deposítos se foram e mais 2 meses do aluguel tambem , (mas eu sempre dei o dinheiro para pagar tudo certinho) . quando fiquei sabendo disso , eu me acabei em beber , em fuma , em cheirar e me entupir de comprimido . eu não tinha um meio bom para acabar com minha vida sem sentir dor. eu corri contra a parede com uma faca apontada pro meu peito mais só acabei me cortantado por desistir na ultima hora .
    eu fugi de casa e acabei me dando muito mal , mas a vontade obseciva de não ficar sobrio porque está tudo errado , e o gelado que afunda meu peito hoje de chegar perto dos meus parentes , é tudo estranho pra mim ainda e não sei o que faço , eu estou um caco , tremendo por abstinência de droga. Estou infeliz , depressivo , querendo morrer de qualquer jeito .
    mas quando meu pai me encontrou perto de um posto de gasolina por eu ter ligado para ele para ficar na casa dele , eu passei a impressão de arrependimento e de que estava melhor . ele me disse para esquecer tudo o que tinha passado e disse que sabia como eu estava sobracarregado mesmo não sabendo como eu estava me sentindo.
    eu to preste a pular do lugar mais alto que vir primeiro , e meu lado sinico e ator , consegue sorrir pra eles quando eles me perguntam se estou bem . (TIVE QUE APAGAR O COMEÇO POIS SÓ CABE 4.096 CARACTERES)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fernando, dizer que se entende a dor alheia é sempre temerário, quando não falso... Talvez um ou outro tenha sentido algo semelhante, talvez.

      Mas dores são dores e, por aproximação, a gente consegue avaliar a dimensão da tragédia em que alguém esteja mergulhado!

      Portanto, meu caro, estou aqui e posso dizer que já atravessei muitos abismos até me colocar à disposição para ouvir pessoas, como você...

      O que posso dizer?! TODAS AS DORES TEM CURA! Todas as feridas se cicatrizam. São jornadas longas e dolorosas, que nos fazem crescer, amadurecer, sorrir melhor (sem fingimento...).

      O caminho é de cada um, mas existem amigos-anjos (a maioria invisíveis) que nos auxiliam a percorrer o longo caminho do autodescobrimento e autoreajuste.

      Estou aqui, na beira da estrada, pronto a acolhê-lo, nem que seja para te desejar um "siga firme aí!", "aguenta mais um pouco!".

      Posso dizer também, com base em minhas crenças, que Deus está contigo, comigo, com todos e não desiste de acreditar que eu, você, todos somos capazes de fazer a nossa parte, seja resistindo, acreditando, insistindo...

      Estou aqui. Se quiser continuar a conversa de modo reservado o endereço é o de sempre: abelsidney@gmail.com

      Abraços e fique em paz!
      Abel

      Excluir
  130. Sou adolescente estou passando por uma fase difícil , não sei ao certo mas ajo que vou ser pai , não sei se estou pronto para isso , meu pensamentos já estão me assustando ,acordo cedo todos os dias e pesso oque vai ser de minha vida , já não sei se minha vida tem sentido, não sei como superar isso , não sei onde buscar forças para enfrentar isso , já não sei se o melhor pra mim é viver

    ResponderExcluir
  131. Prezado adolescente! Antes de tudo, grato por confiar em nós e compartilhar aqui o seu drama.

    Não há dores menores ou maiores. Existe a nossa dor e ela nos desafia, nos incomoda, nos atordoa!

    Mas não há dores (dificuldades, problemas, embaraços) que durem para sempre...

    Aí você me diria: "mas um filho é para o resto da vida!". Verdade. Quando eles aparecem assim, de repente, de modo imprevisto e não desejado, é mesmo complicado!!

    Bem, eu já passei por isso na minha "adolescência tardia" e não foi fácil.

    Hoje, avaliando tudo o que passou, posso dizer que faria tudo de novo em razão do filho que tenho!!

    Então, não se precipite. Deixe as coisas acontecerem e se prepare para o baque.

    Você sobreviverá, amadurecerá meio à força e logo mais, se aproveitar as experiências que virão, vai pensar como eu e milhares de pessoas: "Faria tudo de novo, apesar dos pesares..."

    Siga firme aí!!

    Querendo continuar a conversa, me escreva: abelsidney@gmail.com

    Fica em paz,
    Abel

    ResponderExcluir
  132. Eu só queria dizer que estou chegando ao meu limite. Ainda posso aguentar mais algum tempo, mas sei que isso não deve melhorar, vou apenas seguir o conselho de deixar para depois.

    Independente de como isso terminará para mim, quero agradecer a pessoa que criou esse espaço (achei quando procurava formas de suicídio). Você ouviu e atendeu muita gente nesse tempo. Obrigado.

    ResponderExcluir
  133. Só queria ter a oportunidade, de verdade, de poder fazer mais por você! Me escreva, meu caro!!

    Há solução para todas as situações, as mais complexas, pode acreditar!!

    ResponderExcluir
  134. Eu não tenho uma vida ruim... Eu trabalho, terminei a faculdade, fui uma boa aluna, filha, amiga... Tenho dinheiro, casa... Mas cansei. Cansei de acordar. Cansei de tomar banho e seguir a rotina. Tentei me mudar, culpabilizando o lugar onde eu vivia. Troquei de cidade umas dez vezes somente em 2016, até de estado, e percebi que o problema é comigo. Perdi a motivação para respirar. É doloroso. Toda hora me pego chorando sem motivos. Eu me odeio por isto. Eu tento evitar falar sobre, pois tbm odeio quando alguém pergunta pq estou de rosto inchado ou se estou triste. Mas estou muito triste. Começou em 2012 e tudo vem ficando cinza e agora está muito insuportável. Hoje é meu aniversário e realmente não aguentarei mais um ano. Tenho tudo planejado, falta só o impulso final, só q retrocedo pensando o que aconteceria se eu não tivesse feito? Todavia, não acho que acontecerá algo agradável ou q valha a pena acordar outra vez. Ainda assim, acho q busco...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sirukyps,

      Eu tenho o mundo em minha mão
      Ele é uma imensa bola pesada demais de aguentar
      Amedrontada, olho para frente, escura imensidão
      ...

      Desculpe ter buscado informações sobre você. Não é intromissão, mas desejo de te conhecer melhor, para de alguma forma, poder te ajudar.

      Ontem recebi um convite para o 21° Undoukai, do Nikkey da minha cidade. No convite eles explicam a razão da gincana acontecer no início de maio, falam sobre o Kodomo no Hi (dia da criança, no Japão) e comentam sobre o koinobori, aquelas bandeiras em forma de carpas coloridas. O koi (a carpa), é dito lá, "pode nadar em grandes correntezas e isso representa para o povo oriental a força e a coragem necessária para superar as dificuldades na vida".

      Tenho atravessado muitas tormentas (esposa com doença incurável, filho especial etc. etc.) e há um tempo sonhei que eu e minha esposa estávamos num lugar sombrio. Havia uma ponte. Olhando para o rio vi muitas carpas subindo, vencendo as correntezas. Acordei impressionado. Fui investigar e descobri que para os chineses este tipo de sonho é sinônimo de vitórias mais adiante.

      O que tem acontecido com você? Suas carpas foram desviadas para as margens lodacentas do teu rio. Elas representam os neurotransmissores, aqueles elementos químicos necessários às sensações de prazer, reconforto...

      Os embates da vida, as não percebidas frustrações, os desejos não realizados, os pequenos aborrecimentos acumulados, tudo isso altera nossas carpas. Elas perdem a cor e buscam as zonas mais cinzentas do rio - as locas, os remansos, desistindo de prosseguir rio acima...

      Não se trata de vontade, de falta de fé ou de perspectiva, mas de mal físico instalado. Isso tem nome e não é bonito: depressão. Ninguém quer saber que tem depressão, pois tem a ver com saúde mental e quem quer ser taxado de louco, de desajustado? O fato, porém, é que adoecemos e precisamos de tratamento, de orientação terapêutica!

      Então, convido você a conhecer o trabalho da mais charmosa ativista em favor da vida-reconquistada-e-que-merece-ser-intensa-e-doidamente-vivida: a Ana Maria Saad.

      http://www.anamariasaad.com.br/pensamentos-negativos-da-depressao-uma-tecnica-simples-pra-sair-disso/

      Nesta postagem ela comenta sobre isso: a confusão que fazemos ao ter um "transtorno mental":

      **
      Se você tem uma micose, você não é a micose. Se você tem um tumor, você não é o tumor. Certo?

      O problema é que com os transtornos da cachola a gente acha que é o transtorno, porque estamos identificados demais com a nossa mente pra percebermos que não somos a bagunça e o mal-estar que se apoderaram dela.
      **

      É isso. Acredito que se você conseguir devolver a cor às suas carpas (elas estão cinzentas, NÃO VOCÊ!) pouco a pouco você se refará e não desejará, de maneira nenhuma, derreter-se de depressão e ansiedade como o Howl, naquela impagável cena d'O Castelo Animado.

      Fica em paz,
      Abel

      PS: lendo suas postagens percebi que você tem uma boa pegada poética. Escreve bem mesmo! :)

      Excluir
  135. Eu estava pronta pra me matar...meis pensamentos estavam confusos e tudo que eu pensava era que eu tinha que acabar com tudo de uma vez...semana passada eu me cortei mas nao fundo o suficiente para eu sair dessa bolha de problemas...acabei que lendo esse texto e desisti....porem meus pensamentos ainda sao ruins ...sei que vou voltar a pensar em suicidio :/ ja pedi ajuda a minha mae mas ela acha que o que to passando é passageiro e frescura...eu passo por esses problemas emocionais e psicologocos desde os meus 13 anos ..hj tenho 18 anos e ainda "essa fase de frescura" nao passou ...nao sei como seguir ....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabrina, não desista de buscar sair deste "estado de confusão" ou da "fase de frescura" (como pensa sua mãe e milhões de pessoas, que não conhecem ou estudam os transtornos mentais, a depressão e a possibilidade das pessoas verem o suicídio como saída...).

      Seja firme nem sua luta "em busca de tratamento". Alie-se a pessoas mais sensatas ou com 'autoridade' para se manifestar (professores, profissionais da saúde ou um outro familiar mais esclarecido).

      Às vezes basta que uma só 'autoridade' diga que você está "em risco" para convencer a todos que VOCÊ PRECISA SER CUIDADA.

      Parece um absurdo esta situação, mas é assim mesmo: NÓS negamos que possamos sofrer *transtornos mentais* (não somos loucos, mas apenas enfermos por algum tempo). ELES negam, pois não querem nem sonhar que possamos SER assim (não somos, só estamos!!)...

      Minha esposa ao descobrir que tinha uma doença autoimune e incurável, o lúpus, fez tratamento com psicólogo, psiquiatra, tomou medicação controlada por algum tempo, pois era necessário naquele momento. Felizmente, para nós tudo isso era NORMAL!!

      Meu filho toma medicação controlada até hoje (atraso global de desenvolvimento e síndrome de asperger) e vive uma vida ABSOLUTAMENTE NORMAL. Fossem outros os tempos e ele não teria conseguido se ajustar - seria hoje uma pessoa totalmente inútil e incapacitada, VÍTIMA DO PRECONCEITO.

      Enfim, bem-vinda à vida, à luta e aos desafios que todos temos a vencer - por nós e por todos à nossa volta.

      Lute pela sua sanidade mental, pelo seu equilíbrio emocional, pelo seu bem-estar. Não deixe que a ignorância ou o preconceito TE MATEM!!

      Querendo me escrever, escreva! abelsidney@gmail.com.

      Fica em paz, Sabrina!

      Abraço,
      Abel

      Excluir
    2. Estou passando pela mesma situação, o pior é que nao tenho ninguém pra conversar, desabafar..
      É uma dor absurda que faz perder a vontade de continuar.. Me faz não ter nem mais motivos pra continuar.. Me sinto da mesma forma q vc. Espero conseguir passar por isso logo, e sei que vc também conseguirá!

      Excluir
    3. Isso mesmo, Luiz!

      Grato por se manifestar e desejar melhoras à Sabrina.

      Eu espero que você também se refaça!! Se quiser nos escrever, para continuar a conversa, meu e-mail é este: abelsidney@gmail.com.

      Prossiga firme aí!

      Fica em paz,
      Abel

      Excluir
  136. sinto muita vontade de acabar com tudo,minha vida e um grande fracasso, as vezes a dor é muito forte, queria muito ter coragem de me matar.

    ResponderExcluir
  137. minha vida é um fracasso,as vezes a dor e muito forte, não sei o que fazer ou quem procurar só queria acabar com isso.

    ResponderExcluir
  138. Compreendo o seu desconforto, Sérgio! Não sou apenas um estudioso do tema suicídio. Já estive na beira do abismo, mas superei minhas dores e desencantos.

    Tudo pode ser vencido, mesmo as difíceis situações - dentro e fora de nós.

    Contacte-me por e-mail: abelsidney@gmail.com

    Fica em paz,
    Abel

    ResponderExcluir