sábado, 25 de outubro de 2014

O suicídio nas Américas, segundo pesquisa da OPAS

Organização Pan-Americana da Saúde revela que 7 pessoas se suicidam por hora nas Américas

23 de outubro de 2014

Um relatório divulgado pelas Nações Unidas mostra que a região das Américas registra uma média de sete suicídios por hora.

O estudo, da Organização Pan-Americana da Saúde, foi divulgado na quarta-feira, na Cidade do México.

Comportamento

Segundo o relatório “Mortalidade por suicídio nas Américas”, existe um forte elo entre problemas de saúde mental e o suicídio. De acordo com a pesquisa, distúrbios mentais são um fator em quase 90% de todos os suicídios.

O levantamento recomenda aos países que avaliem os sistemas de saúde para identificar programas, serviços e recursos que possam prevenir e tratar problemas associados a um comportamento suicida

Foram analisados dados de 48 países e territórios no Hemisfério Ocidental.

Caribe que não fala espanhol

A região das Américas, no entanto, registra uma das taxas mais baixas se comparadas à media global. São 7,3 suicídios por 100 mil habitantes, quase quatro a menos que a estatística mundial.

A América do Norte, a zona do Caribe que não fala espanhol, concentra o maior número de casos de pessoas que tiram a própria vida. O número de homens que se matam é mais alto que o de mulheres, e entre as faixas etárias, indivíduos maiores de 70 anos são os mais propensos a cometer suicídio.

Mas o problema é também a terceira maior causa de morte entre jovens de 10 a 24 anos. Os países com as taxas mais altas são Guiana, Suriname, Uruguai e Chile. Seguidos por Trinidad e Tobago, Estados Unidos, Cuba e Canadá.

Problemas têm solução

A diretora da Paho, Carissa Etienne, disse que os distúrbios mentais como depressão e excesso de álcool, devem ser diagnosticados e tratados o mais cedo possível.
 
Segundo ela, é preciso ainda ser mais vigilante com quem já tentou se matar. Etienne afirmou que a prevenção do suicídio não é apenas responsabilidade dos profissionais de saúde, mas de todos: comunidades, famílias, igrejas e grupos sociais.

A diretora da Organização Pan-Americana da Saúde lembrou que geralmente quem atenta contra a própria vida tem sentimentos de perda, abandono ou culpa. Mas que quase sempre os problemas têm solução.

Com informações da Rádio ONU de Nova York

9 comentários:

  1. Fiz um blog para pessoas com tendencias suicidas poderem conversar , entra la.
    http://suicideroom004.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Sofri violência doméstica quando criança. Tanto fisica quanto sexual. Cresci com problemas d relacionamento. Sempre que melhorava uma familiar bem próxima me pisava novamente. Sempre senti que esta pessoa me mantem prisioneira intencionalmente. Tive uma criança de um dos relacionamentos. Mas fui abandonada por que o pai nao aguentou os problemas e foi acolhido por outra. Prometi para mim mesma que nao deixaria acontecer o mesmo com minha criança. Mas aconteceu. Eu presenciei. Tentei denunciar varias vzs. Mas nao acreditam em mim por que a pessoa que fez para os outros ela é prestativa, simpática, encantadora e não demonstra o que realmente é. E por mais que eu conte ela usa meus relacionamentos e problemas psicologicos para encobrir tudo. Todos me olham como doente. Nao consigo emprego e nem amigos. Tento me manter viva pela minha criança. Mas os pensamentos negativos não me deixam. Ja cometi varias tentativas de suicídio. E em uma delas foi com remedios psiquiátricos. Na emergência contei tudo para os medicos e enfermeiros. A pessoa foi chamada. Mas não acharam nada de comprometedor. Entao novamente fui acusada de delirios e loucura. Sei oq passei e sei oq vi. Sei q nao sou louca. Mas as vzs penso se ainda vale a pena viver.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Peço que escreva para a nossa parceira, a terapeuta Paula (paulabarretomeirelles@gmail.com)

      Excluir
  3. - n sei por que eu estou aqui nesse site, só quero achar algu que min ajude... Eu preciso de ajuda , eu n sei oq fazer...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Raquel, me escreva, caso queira conversar: abelsidney@gmail.com

      Excluir
  4. Eu juro que trocava minha vida por alguem que merecesse vivela....

    ResponderExcluir
  5. Todos merecemos viver!! Às vezes, quero negar o quanto somos importantes no jogo da vida... Há sempre alguém que se interessa por nós, que nos ama e nos deseja bem.

    ResponderExcluir
  6. Preciso de ajuda :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Escreva-nos: albergueamigo@gmail.com

      Fica em paz!

      Excluir